Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias > Cientistas brasileiros irão à Oceania em expedição marinha
Início do conteúdo da página
Educação básica

Antiga escola do Espírito Santo é reconstruída para atender seus 420 alunos em tempo integral

  • Terça-feira, 18 de dezembro de 2018, 20h11

 

O ministro Rossieli Soares, em visita à escola José Leão Nunes, conversou com professores e estudantes e defendeu a escola integral como o caminho para a educação (Foto: André Nery/MEC)

O ministro da Educação, Rossieli Soares, reinaugurou em Cariacica, região metropolitana de Vitória, nesta terça-feira, 18, a Escola Estadual José Leão Nunes. A escola existe há 43 anos, mas foi toda reconstruída para oferecer ensino em tempo integral a partir de 2018. São 420 estudantes do sétimo ao nono ano do ensino fundamental e do ensino médio. Todos em período integral. A meta para o próximo ano é ampliar para 520 alunos.

“O Brasil está começando a fazer um movimento para alcançar os outros países”, declarou Rossieli. “Mais do que nunca precisamos percorrer esse caminho para melhorar a educação. O Brasil precisa se organizar para que as escolas se transformem em escolas de sete horas com o objetivo de formação integral do indivíduo. Este é o caminho para a educação no país.”

O governador do Espírito Santo, Paulo Hartung, observou que “a educação é um grande gargalo no desenvolvimento do país e é preciso melhorar”. Mas acredita que as mudanças que vêm sendo implementadas trarão muitos resultados. “Temos muita esperança para a educação básica no país”, enfatizou.

Mãe de Lucas, estudante da escola José Leão Nunes, de 16 anos e que tem autismo, Roseana Ferreira Santos, deu seu depoimento durante o evento. “Tive a felicidade de encontrar uma acolhida muito grande na escola. Assim como qualquer outro pai ou mãe, nossa preocupação era como ele seria tratado em período integral. E para surpresa minha e do pai, foi maravilhosa”, conta. “Ele cresceu muito nas aulas do contraturno, com esporte, e ele interage muito bem.”

Já a estudante Hellen da Silva, do segundo ano, conta que viveu tanto a escola de tempo parcial como de tempo integral. “Eu fiz protesto contra a escola de tempo integral. Mas a Escola Viva mudou muito a minha vida. Antes eu não pensava muito no meu projeto de vida. Agora penso muito no meu futuro e como posso ser daqui pra frente”, contou, entre aplausos dos colegas.

Em 2017, foram repassados R$ 35,7 milhões para o Espírito Santo por meio da Política de Fomento à Implementação de Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral (EMTI). Este ano, foram R$ 7 milhões para custeio e capital.

Assessoria de Comunicação Social

X
Fim do conteúdo da página