Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias > Piso salarial do magistério é reajustado a partir de janeiro
Início do conteúdo da página
Centro de Mídias

Aulas com nova tecnologia podem ser assistidas pelos interessados

  • Sexta-feira, 28 de dezembro de 2018, 13h01

As aulas do Centro Nacional de Mídias da Educação podem ser acompanhadas por todas as pessoas interessadas por meio do aplicativo CNME, disponível no Google Play e na App Store, para sistemas Android e IOS, sem consumo do pacote de dados da internet.

Desenvolvido em formato de uma rede social, o aplicativo permite a qualquer cidadão assistir as transmissões ao vivo do CNME (pela manhã, à tarde e à noite), da TV Escola e de outros canais educacionais. Apenas a participação no chat é restrita aos alunos e professores do CNME.

O aplicativo foi desenvolvido para apoiar o trabalho dos professores na implementação dos currículos e nos projetos pedagógicos das escolas. “Com a homologação da Base Nacional Curricular Comum – Etapa Ensino Médio, as escolas e redes começam já em 2019 a elaborar os novos currículos, para que cheguem às salas de aula de 2020. O aplicativo é uma importante ferramenta de apoio”, avalia o diretor de Currículos e Educação Integral do Ministério da Educação, Raph Gomes Alves.

A proposta pedagógica do CNME está ancorada na Constituição Federal, na Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB) e no Plano Nacional de Educação (PNE), cuja Meta 3 é ter 85% por cento dos jovens no ensino médio.

A metodologia da educação presencial mediada por tecnologia pressupõe alunos em sala, acompanhados por um professor, e educadores no estúdio, ao vivo. Todas as atividades são realizadas em sala de aula. Esses princípios a diferenciam da Educação a Distância, onde o aluno assiste às aulas e realiza tarefas no local e hora que preferir, sem o acompanhamento direto do professor.

A quinta competência geral da BNCC se refere às “tecnologias digitais de comunicação e informação de forma crítica, significativa, reflexiva e ética nas diversas práticas do cotidiano (incluindo as escolares) ao se comunicar, acessar e disseminar informações, produzir conhecimentos e resolver problemas”. A metodologia da educação presencial mediada por tecnologia permite que outras competências sejam trabalhadas, de acordo com o planejamento do professor.

Parcerias – Todos os custos de equipamento e formação de professores são financiados pelo MEC. O investimento total para implementação nos estados é de R$ 40 milhões. Da primeira fase, em 2018, participam 150 escolas de 17 estados e do DF, beneficiando 10 mil alunos de ensino médio. Para 2019, já está confirmada a adesão de 25 unidades da federação.

O projeto é uma parceria do MEC com o Conselho Nacional de Secretários da Educação (Consed). A realização é da TV Escola e da Fundação Roberto Marinho. Também apoiam essa iniciativa o Instituto Ayrton Senna, Universidade Federal de Alagoas (UFAL), Universidade Federal de Goiás (UFG), Universidade Federal do Ceará (UFCE), Centro de Inovação para a Educação Brasileira (CIEB) e Organização dos Estados Ibero-americanos (OEI).

Assessoria de Comunicação Social

 

X
Fim do conteúdo da página