Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Residências em saúde > Estudantes > Pós-graduação > Capes agiliza pagamento de bolsistas no exterior
Início do conteúdo da página

Estudo científico premiado desperta interesse da indústria

Uma das teses premiadas pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes/MEC) chamou a atenção de uma indústria do setor de alimentos. A empresa está interessada no sistema de concentração de suco de laranja, sem prejuízo do sabor e do aroma, desenvolvido pelo engenheiro químico Cláudio Patrício Ribeiro Júnior, da Universidade Federal do Rio Janeiro (UFRJ). O pesquisador foi um dos ganhadores do Grande Prêmio Capes de Tese deste ano. A aproximação da indústria com a academia é uma das prioridades da política de ciência e tecnologia do governo federal.

Na quinta-feira, dia 7, a Capes e a Fundação Conrado Wessel (FCW) entregaram prêmio de US$ 15 mil a cada um dos três vencedores. Além do engenheiro químico, foram premiados o doutor em clínica médica Cláudio Teodoro de Souza, da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), e a historiadora Maraliz de Castro Vieira, também da Unicamp. “É um reconhecimento. Com esse dinheiro e com o interesse da indústria, pretendo acelerar meu trabalho de pesquisa”, disse Cláudio Júnior.

“Criamos este prêmio para incentivar e reconhecer o trabalho desses jovens. E já temos resultados importantes, como a aproximação da indústria com a pesquisa”, ressaltou o presidente da Capes, Jorge Guimarães, ao destacar a importância da parceria entre a agência e a fundação, que distribui, anualmente, mais de R$ 1 milhão com o Prêmio FCW de Arte, Ciência e Cultura. “A parceria com a Capes permitirá que nossa atuação seja ampliada e contribua para o desenvolvimento da pesquisa e para o aperfeiçoamento profissional de nossos cientistas”, destacou o diretor-presidente da FCW, Américo Fialdini Júnior.

Premiados — Os três autores das melhores teses de 2005 também receberam uma bolsa de pós-doutorado, de um ano, no exterior, além de medalha e diploma. Escolhidos entre 228 trabalhos de doutorado de todo o país, os estudos dos três pesquisadores foram considerados pela comissão julgadora de extrema importância para o desenvolvimento do País.

Cláudio Júnior, do programa de pós-graduação em engenharia química da UFRJ, salienta que a diferença produzida pela inovação no processo de concentração do suco de laranja faz prever ganhos para a economia, já que o Brasil é o maior exportador de suco de laranja do mundo. A pesquisa valeu ao pesquisador o Grande Prêmio César Lattes.

Cláudio Teodoro de Souza, da área de biologia do programa de pós-graduação em clínica médica da Unicamp, patenteou uma substância que promete mudar o combate à diabetes tipo 2. A ação da proteína PGC-1alfa, identificada pelo cientista, tem papel no controle da produção de insulina pelo pâncreas e na ação desse hormônio, simultaneamente, em órgãos como o fígado e o tecido adiposo. Ele recebeu o Grande Prêmio Carl Peter von Dietrich.

A historiadora Maraliz de Castro Vieira, do programa de pós-graduação em história da Unicamp, vencedora do Grande Prêmio Florestan Fernandes, elaborou a tese premiada na área de ciências humanas. Seu trabalho baseou-se no quadro Tiradentes Esquartejado (1893), de Pedro Américo, pertencente ao acervo do Museu Mariano Procópio, em Juiz de Fora, Minas Gerais. “A partir do momento em que o artista pesquisa um fato histórico e o interpreta, ele é um historiador”, avaliou. “A tela afirma, discute ou subverte a imagem do herói?”

Maraliz acredita que sua tese contribuirá para um debate mais rico sobre a arte no Brasil e também sobre novas maneiras de fazer história.

Adriane Cunha

Assunto(s): mec , notícias , jonalismo , matérias
X
Fim do conteúdo da página