Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Residências em saúde > Estudantes > Pós-graduação > Pós-graduação: avaliação de pesquisas
Início do conteúdo da página
Residências em saúde

Formação de professores é prioridade

  • Quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008, 11h27

O ministro Fernando Haddad assegurou nesta quinta-feira, 14, que a formação de professores para a educação básica é prioridade número um do Ministério da Educação. Haddad participou, de manhã, da solenidade de posse dos integrantes do Conselho Técnico e Científico (CTC) da Educação Básica. “As metas do Plano de Desenvolvimento da Educação só poderão ser cumpridas se tivermos professores bem formados”, disse o ministro.

O conselho foi formado para permitir à Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes/MEC) orientar as políticas públicas voltadas para a capacitação de professores. A missão faz parte das novas atribuições da autarquia, instituídas pela Lei nº 11.502, de 11 de julho de 2007. A intenção é que a experiência da Capes na pós-graduação brasileira possa se estender à formação de professores.

“Há 40 anos, nossa pós-graduação tinha os mesmos indicadores que a educação básica. Hoje, somos o 15º país com maior produção científica do mundo, enquanto nossa educação básica ainda está na 50ª colocação”, destacou o presidente da Capes, Jorge Guimarães, em alusão à posição que o Brasil ocupa, de acordo com o Programa Internacional de Avaliação de Alunos (Pisa).

Responsabilidades — As atribuições do conselho instituído nesta quinta-feira vão desde a discussão e o acompanhamento das novas políticas de formação de professores até a consultoria para descredenciamento de cursos de magistério. “Assim como a Ordem dos Advogados do Brasil e o Conselho Nacional de Medicina, essa comissão será parceira do MEC na avaliação da qualidade dos cursos de licenciatura”, explicou o ministro.

Além disso, Haddad destacou o papel da Capes, com as novas atribuições, na correção do que classificou como erro histórico. Ou seja, a falta de integração entre educação básica e superior. “Não podemos mais incidir nesse erro. A Capes deve atuar na formação de pessoal de nível superior, não para o nível superior”, disse.

O Conselho Técnico e Científico da Educação Básica terá a primeira reunião já nesta quinta-feira, às 14h, no MEC.

Ana Guimarães

Leia mais...
Toma posse o Conselho Superior da Capes
Falta de professores preocupa especialistas
Conselho da Educação Básica reúne-se em março

Assunto(s): mec , notícias , jonalismo , matérias
X
Fim do conteúdo da página