Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Secretaria de Educação Superior > Estudantes > Pós-graduação > Capes aprova novos cursos de pós-graduação
Início do conteúdo da página

Capes aprova novos cursos de pós-graduação

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior  (Capes/MEC) recomendou 147 novos cursos de pós-graduação em instituições de ensino superior. Foram aprovados 83 mestrados, 44 doutorados e 20 mestrados profissionais. No total, foram avaliadas 408 propostas. A área com maior número de cursos aprovados foi a multidisciplinar, com 18 projetos. Em seguida, engenharia e medicina, com oito, e saúde coletiva com sete cursos recomendados. Ainda serão analisados 36 cursos. E 225 cursos não foram recomendados.

Os integrantes do Conselho Técnico Científico da Capes reuniram-se na semana passada, em Brasília, para avaliar as propostas. Antes, os 600 consultores de 45 áreas do conhecimento julgaram as propostas, baseados nos critérios de qualidade da Capes. Após a recomendação, os cursos receberão o reconhecimento do Conselho Nacional de Educação (CNE). O total de cursos de pós-graduação hoje no país passa a ser de 3.592. A lista dos cursos recomendados está na página eletrônica da Capes.

Destaques – Entre os cursos recomendados, destaque para o primeiro doutorado do estado do Amapá. A Universidade Federal do Amapá obteve o reconhecimento de qualidade do doutorado em biodiversidade tropical. Segundo o representante da área de ecologia da Capes, Fábio Scarano, o curso atende à necessidade de criação de condições ao desenvolvimento do estado mais intocado da Amazônia, em que 91% do território é selvagem e 55% está sob preservação ambiental. “É importante que se tenha produção de conhecimento local, para que se possa conter a depredação”, diz Scarano.

Com o objetivo de fomentar estudos vinculados ao potencial específico da região Norte, a Universidade Federal do Pará (UFP) recebeu aprovação dos cursos de mestrado e doutorado em ecologia aquática. Como o estado faz parte da maior bacia hidrográfica do planeta e tem alta biodiversidade e recursos hídricos, o curso deverá ter boa demanda. “É estratégico, voltado para nossa maior riqueza local”, diz Scarano. A UFP tem tradição em pós-graduação em ciências biológicas e geociências. Segundo Scarano, o curso vem para aperfeiçoar estudos dos profissionais das áreas de biologia, engenharia de pesca, geografia, oceanografia e ciências ambientais.

Os dois programas de pós-graduação também atendem a uma das ações prioritárias da Capes, a formação de recursos humanos na região, dentro do programa Acelera Amazônia.

Adriane Cunha

Assunto(s): mec , notícias , jonalismo , matérias
X
Fim do conteúdo da página