Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias
Início do conteúdo da página
Educação superior

Universidade da Amazônia vai adotar o Enem para ingresso

  • Segunda-feira, 18 de maio de 2009, 15h58

Estudantes interessados em ingressar na Universidade Federal da Integração Amazônica (Uniam), em 2010, devem fazer o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em outubro deste ano. Essa é a recomendação do presidente da comissão de implantação da Uniam, José Seixas Lourenço. A nota do exame será a única forma de seleção nesta universidade.


A instituição, que terá sede em Santarém, no Pará, e campus nos municípios de Itaituba, Tapajós e Oriximiná, tem entre seus objetivos formar recursos humanos e produzir conhecimentos para o desenvolvimento sustentável da região. O Projeto de Lei nº 2.879/2008, que cria a universidade está no Congresso Nacional, e a expectativa de José Seixas Lourenço é que ele seja aprovado no segundo semestre deste ano para que os primeiros alunos ingressem na Uniam em março de 2010.


A nova instituição atenderá populações de 20 municípios paraenses numa área de 500 mil quilômetros quadrados, além de fazer intercâmbio com oito países vizinhos, entre eles, Colômbia, Venezuela, Equador, Guiana Francesa e Peru. A área de atuação da nova universidade, explica o presidente da comissão, tem cerca de um milhão de habitantes e é maior que muitos países da Europa.


A comissão de implantação da Uniam já definiu a estrutura da universidade: ela terá cinco institutos que começam com três a quatro cursos cada, um ciclo básico obrigatório a todos os alunos e pós-graduação. Funcionará em três turnos, das 7h30 às 22h30 de segunda a sexta-feira e das 8h às 18h aos sábados. E para ampliar o atendimento às comunidades do entorno dos campi, vai aderir à Universidade Aberta do Brasil (UAB), que oferece educação a distância, e fazer parcerias com o estado e municípios.


No ciclo básico, os alunos terão 800 horas (dois semestres) de estudos sobre a Amazônia. Na etapa seguinte (também obrigatória), o estudante ingressa em um dos cinco institutos onde recebe mais 400 horas (um semestre) de conteúdos programáticos comuns às áreas do instituto, antes de optar pela graduação. Nesse processo, explica Seixas Lourenço, o aluno é avaliado durante a formação e ao final de cada etapa do ciclo obrigatório.


A formação de professores para a educação básica é um dos compromissos da Uniam. As licenciaturas serão oferecidas pelo Instituto de Ciências da Educação onde estão previstos os cursos de letras e pedagogia, ciências naturais (física/matemática e biologia/química), ciências sociais (história/geografia); o Instituto de Ciências da Sociedade terá cursos de direito, ciências sociais, desenvolvimento, gestão regional e urbana; o Instituto de Engenharia e Geociências, cursos de tecnologia da informação e comunicação, ciências da terra e engenharia física; o Instituto de Biodiversidade e Florestas, os cursos de engenharia florestal, agroecologia, engenharia de alimentos e biotecnologia; e o Instituto de Ciências e Tecnologia das Águas, os cursos de engenharia da pesca, tecnologia de recursos pesqueiros, tecnologia de aquicultura e tecnologia em saneamento básico.


Trajetória – Criada com o desmembramento das universidades federais do Pará (Ufpa), campus de Santarém, e da Rural da Amazônia (Ufra), unidade descentralizada de Tapajós, a Uniam, quando plenamente implantada, terá 432 professores, 332 servidores de nível médio e superior, oferecerá 41 cursos de graduação e vagas para 10.700 alunos de graduação mestrado e doutorado. Os recursos previstos para implantação da Uniam, incluídos despesas de pessoal, custeio e investimentos, somam R$ 191 milhões, distribuídos entre 2009 e 2012.


A Uniam integra um conjunto de quatro instituições federais voltadas para atender aos movimentos sociais, os arranjos produtivos locais e a integração regional e internacional. Estão nesse grupo, as universidades federais da Integração Latino-Americana (Unila), com sede em Foz do Iguaçu (PR); da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab), com sede em Redenção (CE); e a Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), com sede em Chapecó (SC). O projeto de lei que cria a Uniam já foi aprovado nas comissões de Trabalho, Educação e Finanças da Câmara dos Deputados, mas ainda precisa de análise da Comissão de Constituição e Justiça. Depois disso segue para apreciação do Senado, onde precisa de aprovação do plenário.

Ionice Lorenzoni

Assunto(s): Enem , Educação superior
X
Fim do conteúdo da página