Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias > Com base em parecer técnico, MEC recolhe das escolas o livro 'Enquanto o sono não vem'
Início do conteúdo da página
Direitos Humanos

Pacto Universitário é tema de debates no interior paulista

  • Segunda-feira, 26 de fevereiro de 2018, 20h13
  • Última atualização em Segunda-feira, 26 de fevereiro de 2018, 20h20

O Ministério da Educação participou, neste fim de semana, do 1º Fórum Campinas pela Paz, no interior paulista. Na sexta-feira, 23, e sábado, 24, o Pacto Universitário pela Promoção do Respeito à Diversidade, Cultura da Paz e Direitos Humanos foi o tema dos debates. O Pacto é uma iniciativa conjunta do MEC e do Ministério da Justiça e Cidadania para a promoção da educação em direitos humanos na educação superior.

Aberto à adesão das instituições de educação superior e de entidades apoiadoras, o objetivo do Pacto é superar a violência, o preconceito e a discriminação, e promover atividades educativas de promoção e defesa dos direitos humanos nas instituições.

"A cultura da paz tem relação direta com a educação em direitos humanos e, por conseguinte, com o Pacto, na medida em que contribui para a discussão de como educar para o desenvolvimento pleno da pessoa, no contexto de uma sociedade plural e diversa”, destaca a diretora substituta de educação em direitos humanos e cidadania do MEC, Patricia Mollo.

Ela explica que o evento foi destinado a educadores e cidadãos em geral, e contou com a participação de representantes de instituições de educação superior que aderiram ao Pacto. “Foi uma boa oportunidade para contribuir com a discussão e, ao mesmo tempo, observar a atuação da prefeitura de Campinas, entidade apoiadora, em uma cidade de vocação universitária”, disse. De acordo com ela, a expectativa para este ano é fortalecer a rede das mais de 300 instituições de educação superior participantes e ampliar as entidades apoiadoras.

O coordenador de política da juventude da Secretaria de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos de Campinas, Felipe Gonçalves Silva, explica que representantes de 11 instituições de ensino superior, prefeituras do entorno de Campinas e entidades da sociedade civil se reuniram para debater o tema de forma conjunta.

“Com essa diversidade de público conseguimos estabelecer um diálogo com o objetivo de construir uma perspectiva de direitos humanos não apenas em Campinas, mas em toda a região”, detalha. A prefeitura de Campinas aderiu ao Pacto em outubro do ano passado.

Comprometimento – Para a coordenadora do comitê do Pacto na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), professora Neri de Barros Almeida, o aspecto mais importante do encontro foi unir em debate instituições importantes que estão comprometidas com o Pacto na região.

“São iniciativas em rede. Um grupo coordenando dá uma identidade para o trabalho. São instituições diferentes, comprometidas com atividades de formação. Isso traz benefícios para a comunidade, mostra que os direitos humanos têm valor e que vale a pena se associarem em torno dessa bandeira e trabalharem juntos”, detalha. A Unicamp aderiu ao Pacto em maio do ano passado.

Fórum – Foram dois dias de palestras, painéis, debates, oficinas e apresentações culturais a fim de promover a cultura de paz e popularizar o tema. Ao mesmo tempo, incentivar ações de continuidade após a realização do evento.

Também participam do evento diversos convidados, entre eles Arun Gandhi, neto de Mohandas Mahatma Gandhi. Arun é fundador e dirigente do Gandhi Worldwide Education Institute, voltado para a área de educação de crianças na Índia, e viaja pelo mundo como palestrante, propagando a cultura de paz, a educação e a inclusão.

O ator, apresentador, cineasta e escritor Lázaro Ramos também participou do evento.

Assessoria de Comunicação Social

X
Fim do conteúdo da página