Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias > Plataforma digital monitora escolas e alunos dos dois primeiros anos do ensino fundamental
Início do conteúdo da página
Educação profissional e tecnológica

Instituições de TO e PI abrem 1200 vagas em cursos técnicos

  • Terça-feira, 14 de abril de 2009, 17h15
  • Última atualização em Quarta-feira, 15 de abril de 2009, 15h48
O Colégio Agrícola de Floriano, instituição vinculada à Universidade Federal do Piauí, e o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Tocantins abrem, até agosto, 1.200 vagas em cursos da Escola Técnica Aberta do Brasil (E-Tec Brasil). Os cursos técnicos serão oferecidos em oito cidades distantes das capitais desses dois estados.

Para as 500 vagas oferecidas pelo Colégio Agrícola de Floriano concorrem mais de 7 mil candidatos. O vestibular será no dia 26 de abril e o início das aulas está previsto para junho.

O coordenador da formação, Jossivaldo de Carvalho Pacheco, explica que o Colégio Agrícola de Floriano fará seleção para os cursos técnicos em agropecuária, informática e enfermagem, todos com duração de dois anos. Os cursos serão oferecidos nas cidades de Alegrete do Piauí, Valença do Piauí, Batalha do Piauí e em Monsenhor Gil, que são pólos regionais do estado.

Concorrem às vagas jovens e adultos com o ensino médio completo ou que estejam fazendo o segundo ano do ensino médio. A maior concorrência é para o curso de enfermagem no município de Monsenhor Gil, onde estão inscritos mais de 2 mil candidatos.

Tocantins - O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Tocantins já selecionou os 700 candidatos aos quatro cursos técnicos que vão começar em agosto. A coordenadora dos cursos, Liliane Carvalho Félix Cavalcante, informa que o Instituto abriu cursos em agroecologia, informática, marketing e secretariado. Os quatro cursos serão oferecidos nos pólos de Palmas, Tocantinópolis e Araguatins. O pólo de Guaraí terá os cursos de agroecologia e infomática.

Para atender as exigências de cursos a distância, o Instituto vai selecionar 14 tutores presenciais, que estarão nos polos a disposição dos alunos, e 55 tutores a distância. Os polos da E-Tec Brasil dispõem de computadores, internet banda larga e biblioteca para uso dos cursistas. Segundo Liliane, os polos da E-Tec Brasil em Tocantins são administrados numa parceria com o município-sede do polo, o estado e o Instituto. Eles ficam abertos das 8 às 23 horas.

Experiência – O Colégio Técnico da Universidade Federal de Juiz de Fora, em Minas Gerais, foi pioneiro na abertura de cursos da E-Tec Brasil. Em outubro de 2008, o colégio abriu três cursos com 900 vagas distribuídas em oito cidades do estado. O coordenador, Paulo Roberto Rufino Pereira, relata algumas dificuldades desse início. A inclusão digital foi o primeiro problema que o coordenador teve que enfrentar. “Tivemos que pegar na mão de muitos alunos para ajudá-los a apertar os botões do computador”.

Outra dificuldade que o colégio enfrenta é a falta de laboratórios para as aulas práticas, especialmente no curso de enfermagem. Como a enfermagem tem 300 alunos, os espaços nas unidades básicas de saúde dos municípios-polo são insuficientes para atendê-los. Segundo Paulo Rufino, cada unidade comporta no máximo dez alunos e são cinco turmas de 60 estudantes.

Mas o problema da evasão, que apareceu por causa de dificuldades próprias de estudantes que já estavam fora da escola – a idade dos cursistas é de 25 a 30 anos –, foi resolvida. O colégio, explica o coordenador, fez diversas chamadas no início dos cursos para preencher as vagas dos desistentes e abriu um serviço de orientação educacional para acompanhar os estudantes. No final de cada semana, o serviço de orientação identifica quem faltou, quem não entregou os trabalhos e procura o aluno para conversar. Graças a essa estratégia, dos 900 que começaram os cursos, apenas 18 desistiram.

Paulo Rufino diz que a persistência do Colégio Técnico Universitário em manter os alunos nos cursos se deve à importância que a escola dá à formação profissional, especialmente para jovens das cidades distantes dos grandes centros onde as oportunidades são menores. Os selecionados, explica, são pessoas com mais de 20 e menos de 30 anos que têm um ofício, mas não uma profissão. “Para eles, o curso técnico profissional oferece um novo patamar, uma profissão.”

Programa desenvolvido pelas secretarias de Educação a Distância (Seed) e de Educação Profissional e Tecnologia (Setec), a E-Tec Brasil selecionou por edital, em 2008, 193 polos autorizados a promover vestibulares em 2008 e 2009. A tabela mostra as instituições que já começaram o processo.

Ionice Lorenzoni

 
InstituiçãoNº de pólosNº de cursosNº de vagas
UFJF (MG)83900
UFSM (RS)51300
UFPel (RS)41200
UfV (MG)31150
EAF Muzambinho (MG)63450
Ifet Ceará74800
Ifet Pará561.000
UFPR (PR)14626.480
Sect-DF361.945
Sectma-PE1541.800
UFPI43500
Ifet Tocantins44700
Total2164016.125
X
Fim do conteúdo da página