Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias > TV Escola apresenta a história do cacau
Início do conteúdo da página
Educação tecnológica

Mulheres ganham espaço em competição na área de robótica

  • Terça-feira, 31 de maio de 2016, 12h10
  • Última atualização em Terça-feira, 31 de maio de 2016, 12h10

Equipe do Instituto Federal do Paraná no Desafio de Tecnologia e Inovação é composta por estudantes do sexo feminino (foto: Makfferismar Santos/Setec) Os visitantes da arena do Desafio de Tecnologia e Inovação dos Institutos Federais surpreendem-se com o número de mulheres que participam da competição, que vai até quarta-feira, 1° de junho, em Porto Velho, Rondônia. É cada vez maior o interesse delas pela área, antes território dominado pelos homens. A equipe do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Paraná (IFPR), por exemplo, é formada inteiramente por mulheres. Elas estão entre os quase 200 competidores do evento, organizado pelo Instituto Federal de Rondônia (IFRO), com o apoio da Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (Setec) do Ministério da Educação.

“As meninas, agora, se interessam por temas de alta tecnologia, como a robótica”, diz a estudante Maiara Silva, integrante da equipe Hakuna Matata, do campus de Curitiba do IFPR, com as amigas Júlia Christina e Eleonora Avello. O interesse pela robótica fez as jovens mudarem de curso. Até 2015, Maiara e Júlia eram alunas do curso técnico integrado em contabilidade. Eleonora fazia o de informática. Em 2016, para ficar mais próximas da área, as jovens fizeram a opção pela transferência. Hoje, são alunas do curso técnico integrado em mecânica.

Dispostas a participar do Desafio, Maiara, Júlia e Eleonora chegaram a promover atividades de arrecadação de recursos para as despesas com passagens, hospedagem e alimentação. “Chegamos a um momento em que os recursos não eram suficientes para financiar a presença de nós três, mesmo tendo apoio do instituto”, diz Maiara. “Conversamos com uma professora de empreendedorismo, que nos sugeriu promover atividades. Assim, realizamos palestras cujo tema era a robótica.”

De acordo com a estudante, quem ingressava na palestra adquiria um tíquete e concorria ao sorteio de brindes. A meta era arrecadar R$ 2,3 mil. “No fim de uma semana, arrecadamos R$ 2,7 mil”, destaca.

Olimpíada — Maiara afirma ainda que o objetivo é usar o dinheiro excedente para financiar a participação de equipes do IFPR na disputa nacional da Olimpíada Brasileira de Robótica (OBR), em outubro, em Recife. “Vamos continuar promovendo atividades para arrecadar recursos e destinar todo o montante para a equipe do IFPR que se classificar para a fase nacional da OBR, independentemente de ser ou não a nossa equipe.”

Na primeira edição do Desafio de Tecnologia e Inovação, as integrantes da equipe Hakuna Matata vão competir na modalidade Seguidor de Linha, cuja missão é programar um robô para que ele siga um trajeto demarcado em um circuito com obstáculos.

Financiamento — Orientador da equipe, o professor Marlon Oliveira destaca a importância do investimento para a formação e participação de equipes em competições de educação profissional e tecnológica. A equipe do IFPR, por exemplo, foi financiada com recursos da Chamada Setec–Cnpq N° 17/2014, que destinou R$ 40 milhões em recursos para projetos de pesquisa aplicada, inovação e extensão tecnológica. O financiamento à equipe possibilitou o investimento em compras de equipamentos e o custeio de bolsas, num total de R$ 45 mil.

Assessoria de Comunicação Social, com informações da Setec

Leia também:

X
Fim do conteúdo da página