Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias > Dilma vê dois turnos na escola como fundamentais para um país desenvolvido
Início do conteúdo da página
Educação profissional e tecnológica

Maranhão terá mais 14 escolas técnicas

  • Quarta-feira, 05 de dezembro de 2007, 09h33
  • Última atualização em Quarta-feira, 05 de dezembro de 2007, 17h42

Até 2010, serão investidos cerca de R$ 70 milhões na construção de 14 escolas técnicas (Foto:Júnior Duarte)São Luís — Prefeitos e representantes de municípios maranhenses que receberão uma escola técnica federal a partir do próximo ano reuniram-se nesta quarta-feira, 5, para discutir a implantação das unidades. Até 2010, serão investidos cerca de R$ 70 milhões na construção de 14 escolas no estado.

O encontro, com a participação do secretário de educação profissional e tecnológica, Eliezer Pacheco, ocorreu durante a 2ª Jornada Nacional da Produção Científica em Educação Profissional e Tecnológica, que se estende até quinta-feira, 6, em São Luís. Os municípios beneficiados são Zé Doca, Açailândia, Buriticupu, Santa Inês, São Luís (centro histórico), São Raimundo das Mangabeiras, Alcântara, Bacabal, Barra do Corda, Barreirinhas, Caxias, Pinheiro, São João dos Patos e Timon. As seis primeiras cidades integram a primeira fase do plano de expansão. Em Zé Doca e Buriticupu, as obras estão em fase final. As aulas são ministradas em instalações provisórias.

“Estamos rompendo com o apagão da educação profissional no país, incluindo cada vez mais as pessoas, em especial a população mais carente”, afirmou José Costa, diretor do Centro Federal de Educação Tecnológica (Cefet) do Maranhão.

O encontro foi aberto na noite de terça-feira, 4, no Centro de Convenções Pedro Neiva de Santana. Eliezer Pacheco afirmou não ser por acaso que uma ex-aluna de Cefet, Luísa Lima Castro, obteve o primeiro lugar no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) deste ano, com 100% de aproveitamento. “Isso só comprova a excelência do ensino da rede federal de educação profissional, muitas vezes melhor do que a rede privada”, disse. “Por isso, temos de continuar investindo pesadamente nessa política, fundamental para acompanhar o desenvolvimento do país.”

O secretário estadual de ciência e tecnologia, Othon Bastos, também destacou a importância de se fortalecer a educação profissional. Ele lembrou que as grande nações, no passado, investiram muito nessa modalidade de ensino.

Durante a jornada, a Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (Setec/MEC) fará o diagnóstico das pesquisas desenvolvidas na rede federal para conhecer as necessidades dos pesquisadores e das instituições.

Felipe De Angelis

Assunto(s): mec , notícias , jonalismo , matérias
X
Fim do conteúdo da página