Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias > Entenda quem é considerado “treineiro” para o Enem
Início do conteúdo da página
Educação básica

Secretário do RS apresenta ao MEC projetos contra bullying

  • Quarta-feira, 08 de agosto de 2018, 15h54
  • Última atualização em Quarta-feira, 08 de agosto de 2018, 17h42

A Secretaria Estadual de Educação do Rio Grande do Sul (Seduc) desenvolve ações de combate à violência e ao bullying (agressão física ou psicológica) dentro do ambiente escolar, além de traçar estratégias conjuntas nas áreas de educação, segurança pública e justiça. Com o objetivo de apresentar esses projetos, o secretário de Educação do estado, Ronald Krummenauer, esteve na manhã desta quarta-feira, 8, na sede do Ministério da Educação, em Brasília, onde se reuniu com o ministro Rossieli Soares e outros técnicos do MEC.

Presente ao encontro, o diretor de Currículos e Educação Integral da Secretaria de Educação Básica (SEB) do MEC, Raph Gomes Alves, destacou a importância dessa troca de experiências e da possibilidade de levar as ações para outros estados brasileiros. “A partir do momento em que entendemos como potencializar essa iniciativa com outros estados, esse é um papel importante que o MEC acaba cumprindo”, afirmou. “Entender como o Rio Grande do Sul trabalha com a questão do bullying, as iniciativas para prevenção à violência e também organizar e compartilhar isso com outros estados, com certeza pode contribuir para o enfrentamento dessa temática nas outras regiões.”

O projeto, que utiliza games e ferramentas de diálogo entre escola e comunidade, foi criado pela Comissão de Prevenção a Acidentes e Violência Escolar (Cipave) e busca criar um ambiente de combate à violência, seja ela física ou verbal, entre alunos, professores e funcionários.

Para tocar esses projetos, a Seduc identificou, por meio de pesquisas, gráficos e planilhas, quais as áreas mais sensíveis e que precisam de atividades para garantir a realização de boas práticas entre jovens, escolas e sociedade. “Podemos, em um primeiro momento, saber o que acontece dentro das escolas, os casos de bullying e de violência, para depois termos controle desses tipos de processos”, disse Krummenauer. “Em segundo lugar, podemos trabalhar em ações preventivas para diminuir esses números.”

 O secretário lembrou que houve redução na maioria dos casos de violência em ambiente escolar no primeiro semestre de 2018 na comparação com o segundo semestre de 2017.  “Por isso esses resultados começaram a acontecer, e essas ações preventivas são trabalhadas tanto com organismos do próprio governo, principalmente com secretaria de segurança, polícia civil, bombeiros, quanto com entidades externas de controle à drogatização ou mesmo de combate à violência”, explicou.

No caso dos relatos de violência física, foram 165 no segundo semestre de 2017 e 135 no primeiro semestre de 2018. Em relação às agressões verbais, houve o registro de 3.121 casos no segundo semestre do ano passado e 2.321 no primeiro semestre de 2018. Outro índice que chama bastante atenção em ambiente escolar é o bullying. Foram 4.978 casos, sendo 2.860 no segundo semestre de 2017 e 2.118 no último semestre. Em relação ao racismo, os números indicam que houve 1.194 casos no segundo semestre do ano passado e 175 neste ano.

Participação – Outro projeto apresentado pela Seduc aos técnicos do MEC foi o Escola melhor, sociedade melhor, que busca o estímulo para que a sociedade e empresas públicas e privadas participem do desenvolvimento das escolas por meio de doações.

A proposta já garantiu a ampliação e melhoria na área de infraestrutura em mais de 300 unidades educacionais do Rio Grande do Sul. “Esse projeto reorganiza a maneira como podem ser feitas doações para as escolas”, disse Krummenauer. “Nós incentivamos tanto as escolas através das suas direções a buscar parceiros quanto parceiros que queiram fazer doações para escolas. Há uma grande participação da sociedade, com mais de R$ 2,6 milhões em doações.”

Assessoria de Comunicação Social

 

X
Fim do conteúdo da página