Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias > MEC divulga relação de consultores para o Brasil Alfabetizado
Início do conteúdo da página
Educação superior

Acaba greve dos professores em Dourados

  • Segunda-feira, 12 de dezembro de 2005, 11h58
  • Última atualização em Quarta-feira, 16 de maio de 2007, 11h26

Os 2,5 mil alunos do campus de Dourados da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) voltam às aulas na quarta-feira, dia 14, depois de quase cem dias de greve — estavam sem aulas desde 5 de setembro. Em assembléia-geral realizada na sexta-feira, dia 9, os professores votaram pela volta ao trabalho. “Já comunicamos ao reitor e ao diretor do campus que retornaremos na quarta-feira”, disse o professor Mário Luis Alves, presidente da seção regional do Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes).

Dourados tem 14 cursos de graduação, três de mestrado e um de doutorado. Trabalham 271 professores, entre titulares, substitutos e voluntários. Foi o único campus da UFMS que entrou em greve – os outros são em Corumbá, Aquidauana e Três Lagos. A exceção foi o de Dourados. De acordo com Mário Luís, um conselho, formado por representantes dos professores, alunos e da administração, estuda o calendário de reposição das aulas para que não haja prejuízo na qualidade do ensino, principalmente para os estudantes que moram fora da cidade.

De volta ao trabalho — Também já acabaram com a greve professores das universidades federais de Juiz de Fora (Minas Gerais), Santa Catarina, Ceará e São Paulo, além do campus de Catalão da Universidade Federal de Goiás. Ficaram fora da greve 22 instituições. Todos os técnicos administrativos já voltaram ao trabalho.

As propostas do MEC para os professores constam de projeto de lei aprovado pelo Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Estão previstos investimentos de R$ 650 milhões a mais na folha de pagamento para 2006. O projeto cria a categoria de professor associado e concede a todos reajuste médio de 9,25%, a partir de janeiro. Os professores com mestrado, doutorado ou especialização receberão aumento de 50% no valor pago pela titulação. Está prevista, ainda, a continuidade no processo de equiparação da Gratificação de Estímulo à Docência (GED) para ativos e aposentados.

Repórter: Susan Faria

Assunto(s): mec , notícias , jonalismo , matérias
X
Fim do conteúdo da página