Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias > A questão racial: o dia 21 de março
Início do conteúdo da página
Ações internacionais

Universidades do Paraná conhecem Instituto Mercosul

  • Quinta-feira, 28 de junho de 2007, 10h17
  • Última atualização em Quinta-feira, 28 de junho de 2007, 10h17
28/06/2007 15h

O coordenador do Instituto Mercosul de Estudos Avançados (Imea), Hélgio Trindade, conclui nesta quinta-feira, 28, a apresentação do instituto às seis universidades públicas do Paraná e faz um levantamento das possibilidades de parcerias com essas instituições. Embora os campos de interesse prioritário do Imea sejam a pós-graduação e a pesquisa interdisciplinar avançada nas áreas de ciências e de humanidades na Região Sul, o instituto, explica o coordenador, deve contribuir para ampliar o intercâmbio com as instituições de ensino superior dos países do Mercosul. Deve, ainda, constituir o núcleo de uma universidade brasileira com vocação para a integração da América Latina.

Órgão do Ministério da Educação, o instituto tem entre suas finalidades promover a articulação da pós-graduação e da pesquisa entre universidades públicas brasileiras e fomentar o diálogo com instituições de educação superior do Mercosul, bloco que reúne Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai e os associados Chile e Bolívia.

No Paraná, Hélgio Trindade manteve encontros com os reitores, pró-reitores e pesquisadores da Universidade Federal do Paraná (UFPR) e das universidades estaduais de Londrina, Ponta Grossa, Maringá, Unicentro, de Guarapuava, e Unioeste, de Cascavel. A escolha do estado para iniciar a série de visitas deve-se apoio da diretoria brasileira da Itaipu Binacional à instalação do Imea na sede do Parque Tecnológico de Itaipu, em Foz do Iguaçu. O coordenador também recebeu apoio da secretária de ciência, tecnologia e educação superior do estado, Lygia Pupatto, e do secretário do Conselho de Desenvolvimento e Integração Sul (Codesul), Santiago Martin Gallo. As próximas visitas de Trindade serão feitas às instituições públicas de educação superior de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul.

Itaipu — As primeiras articulações do Imea com a Itaipu Binacional indicam a possibilidade de criação de um centro de referência em segurança de barragens e um programa de pós-graduação na área, iniciativas que teriam o apoio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes/MEC). A questão das barragens, explica Hélgio Trindade, é uma demanda de Itaipu. Outra área de interesse econômico da região é a sanidade animal, que envolve o combate à febre aftosa bovina e às doenças aviárias. Essa demanda, diz o coordenador, pode abrir caminho para o desenvolvimento de pesquisas em parceria com a Capes.

O reitor da UFPR, Carlos Augusto Moreira Júnior, manifestou interesse no desenvolvimento de um programa na área de ciência política, em consórcio com a Universidade Federal do Rio Grande do Sul, que oferece doutorado no setor, com a Universidade Federal de Santa Catarina e com a Universidade de Pisa, Itália.

De acordo com Trindade, a concepção e a missão do Imea são as de contribuir no contexto atual de desenvolvimento científico e tecnológico e de integração do conhecimento nas áreas de ciências e de humanidades para a formação de uma experiência universitária inovadora. “O instituto pretende ser o embrião acadêmico-científico dessa instituição, que desempenhará, no século 21, o papel que tiveram, no século 20, as faculdades de filosofia e os departamentos e institutos centrais das universidades de São Paulo e de Brasília, matrizes dos modelos institucionais brasileiros”, explica.

Ionice Lorenzoni

Assunto(s): mec , notícias , jonalismo , matérias
X
Fim do conteúdo da página