Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias > Abertas chamadas públicas para cotas de iniciação científica
Início do conteúdo da página
Ensino e aprendizagem

Gibis ajudam a atrair interesse pela aprendizagem de história

  • Segunda-feira, 06 de julho de 2009, 10h32
  • Última atualização em Segunda-feira, 06 de julho de 2009, 10h32

As histórias em quadrinhos foram adotadas por uma professora de Leopoldina, Minas Gerais, para melhorar o rendimento dos alunos nas aulas de história. Natania Aparecida Nogueira, da Escola Municipal Judith Lintz Guedes Machado, criou o projeto Gibiteca na Escola, um dos vencedores da terceira edição do prêmio Professores do Brasil.


“A gibiteca foi uma forma de estimular o hábito da leitura, fundamental nas aulas de história. Os textos dos livros didáticos, por vezes, são cansativos para os alunos, que chegam ao ensino fundamental acostumados a leituras breves”, explica a professora. Além das histórias em quadrinhos, ela trabalha com os estudantes a interpretação de textos. “Alunos que leem mais têm facilidade em aprender o conteúdo”, diz Natania.


Segundo a professora, a gibiteca atende cerca de 650 alunos do ensino fundamental e da educação de jovens e adultos. “A cada ano, o número de leitores tem crescido. “Com isso, a comunidade escolar dá mais importância à escola, que vem ganhando espaço no município.”


Graduada em história, com especialização em história do Brasil, Natania faz mestrado em ciências políticas, mas não pretende abandonar o ensino fundamental. “Aulas para estudantes entre 11 e 15 anos são mais produtivas. Há empatia muito maior entre aluno e professor, o que facilita a aprendizagem”, justifica. Com os alunos mais velhos, ela dará início, em agosto, a um trabalho de pesquisa. “Eles vão estudar documentos antigos do município, fazer entrevistas e montar um pequeno jornal sobre a história da saúde em Leopoldina”, explica.


Em 2008, Natania e Lucilene Nunes, também professora no município, criaram um livro didático para o ensino fundamental, sobre a história de Leopoldina. “Trabalhei algumas partes do livro com os alunos. Eles acharam ótimo poder estudar algo que está mais próximo da sua realidade,” conta Natania, que mantém os blogs Brasil: História e Ensino e Gibiteca.com.

Fátima Schenini

Saiba mais no Portal do Professor

X
Fim do conteúdo da página