Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias > Crianças terão de ir à escola a partir do 4 anos de idade
Início do conteúdo da página
Educação de jovens e adultos

Prêmio Literatura para Todos promove encontro com autores

  • Quarta-feira, 02 de dezembro de 2009, 11h55
  • Última atualização em Quarta-feira, 02 de dezembro de 2009, 19h13
Belém, 2/12/2009 — Os neoleitores — jovens com 15 anos ou mais e adultos que começam a se aventurar pelo mundo da literatura — podem participar de encontro com os autores das obras vencedoras do 3º Concurso Literatura para Todos. Os escritores conversarão com os leitores nesta quinta-feira, 3, às 17h, no estande do Ministério da Educação no Centro de Convenções e Feiras da Amazônia, em Belém.

O encontro faz parte das atividades da 6ª Conferência Internacional de Educação de Jovens e Adultos (Confintea), que ocorre na capital paraense até sexta-feira, 4. O concurso Literatura para Todos premia obras específicas para estudantes com 15 anos ou mais matriculados em turmas de educação de jovens e adultos de escolas públicas ou que participem do programa Brasil Alfabetizado.

Das 600 obras inscritas nesta edição, dez foram selecionadas — nove de autores brasileiros e uma de escritor africano de língua portuguesa. Haverá premiação de R$ 10 mil para nove autores. O décimo ganhará menção honrosa. Todos os livros selecionados integrarão a coleção Literatura para Todos e serão publicados com tiragem de 300 mil exemplares. A coleção será enviada a escolas públicas que ofereçam educação de jovens e adultos, a núcleos dessa modalidade de ensino das instituições de educação superior, a unidades prisionais, a turmas do programa Brasil Alfabetizado e a países de língua portuguesa.

A cerimônia de premiação ocorrerá no encerramento da Confintea, na sexta-feira, 4.

Premiados — No gênero poesia, foram premiados Maria Amélia de Amaral e Elói, com a obra Poesia Torta; Alexandre Jorge Marinho Ribeiro, com Poemas de Pouco Empenho; Adriano Bitarães Netto, com Poesia da Indagação, e José Luís Tavares (de Cabo Verde, África), com À Bolina ao Redor do Natal.

No gênero prosa, o prêmio ficou com Mayrant Gallo, autor de Moinhos, e Carlos Augusto de Almeida, de Tempo de Chuva.

Em tradição oral, o vencedor foi Marco Aurélio Pinotti Catalão, com No Cravo e na Ferradura. Na dramaturgia, Carlos Correia Santos, com Não Conte com o Número Um no Reino de Numespólis. No gênero perfil biográfico, Alaor Ignácio dos Santos Júnior, com Cascatinha e Inhana: a História e os Trinados dos Sabiás do Sertão.

Foi selecionada com menção honrosa a obra O Papagaio de Van Gogh (prosa), de Antonio de Pádua Barreto Carvalho.

Maria Clara Machado

X
Fim do conteúdo da página