Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias > Consulta pública entra na última semana com mais de 34 mil cadastrados
Início do conteúdo da página
Pesquisas e dados

Lista do Pró-Defesa sai na terça-feira

  • Quinta-feira, 08 de dezembro de 2005, 13h11

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) divulga na terça-feira, 13, à tarde, em sua página eletrônica, a lista das instituições selecionadas para o Programa de Apoio ao Ensino e à Pesquisa Científica e Tecnológica em Defesa Nacional (Pró-Defesa). Os vencedores serão comunicados por meio dos Correios. O resultado deveria ser divulgado esta semana, mas foi prorrogado devido à necessidade de mais tempo para julgar os 42 projetos inscritos.

O Pró-Defesa objetiva implantar redes de cooperação acadêmica na área de defesa nacional para a produção de pesquisas científicas e tecnológicas e a formação de recursos humanos pós-graduados. Lançado pelo ex-ministro da Educação, Tarso Genro, em julho, o programa contribui para desenvolver e consolidar o pensamento brasileiro na área de defesa.

Os projetos são selecionados por uma comissão de pesquisadores indicados pela Capes e integrantes da Secretaria de Estudos e Cooperação do Ministério da Defesa. Até o dia 16, as instituições receberão os recursos – até R$ 120 mil para cada – para aplicarem em 2006. No total, receberão até R$ 480 mil, parcelados em quatro anos, que poderão ser aplicados em bolsas de mestrado e doutorado, transporte e diárias para missões de pesquisa e docência, despesas de custeio, compra de equipamentos e materiais permanentes para atender às atividades do projeto.

O Pró-Defesa é financiado pelos ministérios da Educação e da Defesa. Tem assegurado R$ 3,2 milhões para repassar às instituições selecionadas (no máximo, dez). “Há chance de conseguirmos mais recursos e convênios e, por isso, dentre os projetos inscritos, teremos os selecionados e pré-selecionados. Esses últimos também podem participar do Pró-Defesa”, explicou o diretor de Programas da Capes, José Fernandes de Lima.

Segundo ele, o programa irá permitir a aproximação de pesquisadores com interesse em geopolítica e defesa. “Profissionais de várias áreas entraram no projeto. Engenharia, computação, ciência política, química, direito, ciências agrárias, educação, geografia, sociologia e medicina”, disse.

Participantes – O Pró-Defesa destina-se a instituições públicas e privadas que possuam, em seus programas de pós-graduação stricto sensu reconhecidos pelo MEC, área de concentração ou linhas de pesquisa em defesa nacional. O edital do Pró-Defesa admitiu a participação de instituições militares de altos estudos sem programas de pós-graduação stricto sensu, mas associados com instituições de ensino superior.

O presidente da Capes, Jorge Guimarães, avalia que nos últimos 40 anos a instituição deu atenção a áreas clássicas – como ciências agrárias, humanas, biológicas, da saúde – e algumas, como é o caso da defesa nacional, não foram muito desenvolvidas. "Os temas da área militar são inúmeros e oferecem oportunidade de pesquisa e de formatação de conhecimentos permitindo o aperfeiçoamento das decisões governamentais", disse.

No lançamento do Pró-Defesa, o vice-presidente da República, José Alencar, lembrou que o Brasil precisa enfrentar o desafio de tomar decisões relativas à alocação de recursos para assegurar condições de preservação e defesa de seu patrimônio territorial, populacional, econômico, político e cultural. Lembrou também que é pela pesquisa e ensino que encontraremos alternativas. Mais informações pelo telefone (61) 2104-8806.

Repórter: Susan Faria

Assunto(s): mec , notícias , jonalismo , matérias
X
Fim do conteúdo da página