Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias > Emissão e registro de diplomas de graduação terão novas regras
Início do conteúdo da página
Direitos humanos

Selecionadas instituições que vão oferecer formação continuada

  • Segunda-feira, 18 de setembro de 2017, 18h45


O Ministério da Educação divulgou nesta segunda-feira, 18, a lista de instituições federais de educação superior que foram selecionadas para oferecer cursos de formação continuada, em nível de aperfeiçoamento, com foco na prevenção e combate à violência, ao preconceito e à discriminação no ambiente escolar. Cada projeto receberá até R$ 300 mil.

Foram selecionadas as universidades federais da Paraíba (UFPB), do Tocantins (UFT), do Paraná (UFPR) e do Rio de Janeiro (UFRJ). Todas as instituições aderiram ao Pacto Universitário de Educação em Direitos Humanos e já têm o comitê gestor constituído. Ao todo, o MEC recebeu 47 propostas de 32 instituições federais.

“Todas as propostas recebidas foram de altíssima qualidade. O que a gente percebeu foram universidades e institutos federais engajados no tema”, elogiou a coordenadora-geral de Direitos Humanos da Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão (Secadi), Patricia Mollo. De acordo com ela, a exigência é que o trabalho de conclusão seja de intervenção na escola. “Assim, o MEC vai poder acompanhar indiretamente as escolas que estão sendo beneficiadas com a formação daqueles profissionais.”

 Cabe às instituições selecionadas, com o apoio da Secadi, a articulação com as secretarias de educação para a indicação das escolas, professores e demais profissionais da educação que vão participar dos cursos nas instituições formadoras. É necessária a presença de, pelo menos, um gestor escolar e dois professores da mesma escola.

Calendário – As instituições que não foram contempladas têm até 25 de setembro para recorrer. A avaliação dos recursos será entre os dias 26 de setembro e 2 de outubro. A divulgação da classificação final sairá em 3 de outubro.

O edital prevê que as aulas tenham início no primeiro semestre de 2018. Como se trata de um curso de especialização a distância, deve ter, no mínimo, 180 horas, sendo pelo menos 27 horas presenciais.

Cada projeto deverá atender 250 inscritos divididos em até cinco polos de atendimento, totalizando cerca de mil estudantes. As turmas deverão ser compostas, preferencialmente, por profissionais que estejam atuando em sala de aula. Os projetos de conclusão de curso deverão ser voltados para a própria escola onde o profissional trabalha. As dúvidas podem ser tiradas por meio do e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo..

O resultado está disponível na página da Secadi.    

Assessoria de Comunicação Social

X
Fim do conteúdo da página