Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias > Prefeitura deverá ouvir comunidade antes de fechar escolas rurais, indígenas e quilombolas
Início do conteúdo da página
Aperfeiçoamento

Professores de países lusófonos recebem homenagens do MEC

  • Quinta-feira, 01 de março de 2018, 14h14

     
O ministro da Educação, Mendonça Filho, participou, na manhã desta quinta-feira, 1º, em Brasília, da cerimônia de entrega de certificados aos professores que fizeram curso de aperfeiçoamento em língua portuguesa para docentes da educação básica em países lusófonos – que têm o português como língua oficial ou dominante. A iniciativa do curso é fruto de uma parceria entre o MEC e Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco).

Mendonça Filho prestou homenagem aos professores pela conclusão do curso e reforçou que o Brasil tem atuado de forma ativa junto aos países de língua portuguesa. “O Brasil está hoje e sempre de braços abertos para esses países, que são nossos irmãos”, afirmou. “Essa iniciativa é importante para o governo brasileiro, pois valoriza e integra esses países por meio do que temos em comum, que é a nossa língua, ao mesmo tempo em que fortalece a base de construção de qualquer nação, que é a educação. ”

A professora Ricardina da Costa, do Timor Leste, entre o ministro Mendonça Filho e a representante da Unesco no Brasil, Marlova Noleto (Foto: Mariana Leal/MEC)

O curso teve a duração de duas semanas e reuniu professores de Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, São Tomé-Príncipe e Timor Leste. Na avaliação de Mendonça Filho, os professores poderão repassar o conhecimento adquirido no Brasil aos diretores de seus países: “Essa experiência que eles tiveram aqui no Brasil será replicada e multiplicada com outros professores e diretores de escolas dos seus respectivos países e de outros países de língua portuguesa”.

A expectativa do ministro da Educação é reforçada pela professora do Timor Leste Ricardina da Costa, que dá aulas há mais de uma década para alunos de cinco a sete anos. “Estou muito feliz com o curso”, afirmou. “Quando voltar para o meu país, quero levar essa nova experiência para as crianças de lá”.

A Unesco, segundo sua representante interina no Brasil, Marlova Noleto, está satisfeita de se associar ao MEC na realização desse curso. “O Brasil dá uma demonstração, mais uma vez, da sua generosidade com os países de língua portuguesa e da sua enorme liderança à frente dos assuntos ligados à educação”, destacou.

Assessoria de Comunicação Social

X
Fim do conteúdo da página