Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
  • Bahia vai formar 49 mil professores

    O governo da Bahia anunciou nesta quarta-feira, 5, a oferta de 49.600 vagas para formação de professores em cursos de licenciatura. Trata-se da maior oferta de vagas já proposta pelos estados em seus planos de ações articuladas (PAR). Do total de 19 estados que já apresentaram o plano de formação de professores, a Bahia se destaca como o estado que tem as maiores deficiências. Pesquisas apontam que mais de 70% dos professores da rede municipal da Bahia não têm formação inicial.

     

    Os cursos serão presenciais ou a distância, priorizando as área de pedagogia, matemática, química, física e biologia. Para isso, o programa envolve a participação de 417 municípios, três universidades federais, quatro estaduais e um instituto federal de ensino tecnológico, bem como do Sistema Universidade Aberta do Brasil (UAB). O foco principal se concentra nas escolas municipais, que terão 42 mil vagas.

     

    Presente no lançamento do Programa de Formação Inicial de Professores da Bahia, o secretário de educação a distância, Carlos Bielschowsky, ressaltou a importância das parcerias entre governo federal, estadual e municipal no sentido de melhorar a educação. “Só uma parceria tão ampla, envolvendo os governos federal, estadual e municipal e todas as instituições de ensino superior, dará conta de resolver este complexo e tão importante problema que é oferecer formação para todos os professores da Bahia”, afirmou.

     

    Participaram também da solenidade de lançamento do programa o governador Jaques Wagner e o secretário estadual de educação, professor Adeum Sauer. “Estamos nos esforçando para qualificar os professores, a fim de oferecer aos alunos da rede pública um ensino de qualidade, além de atendermos o que exige a Lei de Diretrizes de Base (LDB)”, afirmou o governador.

     

    Ao todo, as vagas totais de formação de professores – em primeira e segunda licenciaturas e de formação pedagógica – devem chegar a 360 mil, ofertadas em até dois anos, a partir de junho de 2009, aos estados que já apresentaram suas demandas de formação ao MEC. “Mas esse número pode ser muito maior, já que ainda faltam os demais estados”, afirmou o secretário.

     

    Renata Chamarelli

Fim do conteúdo da página