Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias > Em visita à Ebserh, ministro lembra importância dos hospitais universitários para a educação
Início do conteúdo da página
  • Aberto prazo para mudança nos catálogos de educação profissional

    Foto: João BittarEstá aberto até 30 de setembro o período de apresentação de sugestões ou alterações nos catálogos de cursos de educação profissional e tecnológica do Ministério da Educação (MEC). Tanto o Catálogo Nacional dos Cursos Superiores de Tecnologia, como o Catálogo Nacional dos Cursos Técnicos, passam por revisões anuais, em agosto e setembro, como determina a legislação.

    Participam da atualização, nesse período, educadores, estudantes, sistemas e redes de ensino, entidades representativas de classes, órgãos e entes públicos, além das instituições que oferecem os cursos. De acordo com o secretário de educação profissional e tecnológica do MEC, Eliezer Pacheco, a participação da comunidade acadêmica é fundamental para a constante atualização das publicações. “Os catálogos, além de disciplinar, organizar e atualizar os cursos, são excelentes guias para estudantes, instituições de ensino e entidades de classe”, destaca.

    Os interessados em oferecer sugestões de inclusão, exclusão ou alteração devem acessar o sistema.

    Assessoria de Imprensa da Setec

     

  • Catálogo Nacional de Cursos Superiores de Tecnologia (CNST)

    Conheça o  instrumento que orienta e normatiza a oferta da educação profissional tecnológica de nível superior (Cursos de Tecnólogos) 

  • Catálogos Nacionais de Cursos

    Conheça os documentos que normatizam e oferecem informações sobre os diferentes tipos de cursos da educação profissional e tecnológica. 

  • Cursos Superiores de Tecnologia

    ODecreto nº 5.154/2004 que regulamenta o § 2º do art. 36 e os arts. 39 a 41 daLei nº9.394/96, dispõe:

    Art.5º Os cursos de educação profissional tecnológica de graduação e pós-graduação organizar-se-ão, no que concerne aos objetivos, características e duração, de acordo com as diretrizes curriculares nacionais definidas pelo Conselho Nacional de Educação.

    Catálogo Nacional dos Cursos Superiores de Tecnologia

    Cursos Superiores de Tecnologia

     

  • Marco legal e normativo / Catálogo Nacional de Cursos Superiores de Tecnologia

    Conheça as leis, decretos, portarias, resoluções e pareceres que regem o CNST

  • Quatro novos cursos são reconhecidos pelo MEC

    Quatro novos cursos passaram a integrar o Catálogo Nacional dos Cursos Superiores de Tecnologia: produção cultural, mecânica de precisão, biocombustíveis e agroecologia. Todos concedem títulos de tecnólogo sendo, portanto, de nível superior e têm carga horária mínima de 2,4 mil horas. A portaria de inclusão desses cursos foi assinada na noite da quarta-feira, 25, pelo secretário de educação profissional e tecnológica do MEC, Eliezer Pacheco, durante abertura do seminário Perspectivas para a Educação Profissional no Brasil.

    Lançado em 2006, o catálogo organiza e orienta a oferta de cursos superiores de tecnologia no país. Funciona como guia de informações sobre o perfil de competências dos profissionais formados pelos cursos. O catálogo está disponível no portal do MEC.

    Com o acréscimo dos quatro cursos, o catálogo passa a apresentar 102 graduações tecnológicas organizadas em dez eixos tecnológicos. Os cursos são ofertados pela rede federal de educação profissional, universidades e instituições privadas.

    Tecnólogo em produção cultural – Atua na produção, organização e promoção de eventos, projetos e produtos artísticos e culturais, esportivos e de divulgação científica, desenvolvendo ações que perpassam todas as etapas desse processo: pesquisa, planejamento, marketing, captação de recursos, execução, controle, avaliação e promoção de qualquer evento ou produtos de interesse da área, tais como shows, espetáculos de teatro, de música, de dança, artes visuais, produções cinematográficas, televisivas e de rádio, festivais, mostras, eventos e exposições, entre outros, tanto em instituições públicas como privadas.

    Tecnólogo em mecânica de precisão – Projeta, desenvolve, monta, instala, avalia, supervisiona e mantém sistemas mecânicos de precisão, utilizando técnicas que integram sistemas mecânicos e eletrônicos de elevado grau de complexidade e precisão, com a informática. Atua no controle de qualidade da produção, realiza testes de avaliação de sistemas automatizados, controla a qualidade, a confiabilidade e a segurança de produtos, com limites de tolerância dimensional, de forma, posição e textura compatíveis com as especificações e normas técnicas, aliadas à consciência ambiental. São as competências desse profissional que pode atuar de forma autônoma ou em empresas.

    Tecnólogo em biocombustíveis – Atua na cadeia de produção, comercialização e uso de biocombustíveis sólidos, líquidos e gasosos, planejando, dirigindo, monitorando, gerenciando e controlando matérias- primas, produtos, processos e fatores de produção utilizados nessa cadeia produtiva.

    Tecnólogo em agroecologia – Planeja, analisa, executa e monitora sistemas de produção agropecuária, considerando os aspectos de sustentabilidade econômica, ambiental, social e cultural de modo integrado, atuando em propriedades rurais, cooperativas, associações, órgãos governamentais e não-governamentais. Manejo ecológico de sistemas de produção e da agrobiodiversidade, processos de certificação de sistemas agroecológicos, gestão, processamento e comercialização da produção agropecuária ecologicamente correta, utilização de metodologias participativas na organização da produção e da pesquisa. Esta são algumas das atividades do tecnólogo em agroecologia.

    Ana Guimarães
Fim do conteúdo da página