Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias > Crianças terão de ir à escola a partir do 4 anos de idade
Início do conteúdo da página
  • Presidente entrega medalhas a vencedores da 4ª Obmep

    Rio de Janeiro – Ao entregar medalhas de ouro a 300 estudantes da educação básica pública, o presidente Lula disse aos premiados que “aos poucos nós vamos fazendo a sociedade brasileira compreender que uma grande obra, como uma estrada ou uma ponte, não será mais importante que cada centavo investido para melhorar a educação”.

    O presidente Lula entrega medalha de ouro a Ricardo Oliveira da Silva, da Escola de Ensino FUndamental Castelo Branco, de Várzea Alegre (CE) (Foto: Ricardo Stuckert)O presidente da República recebeu os alunos vencedores da 4ª Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep) na Escola Naval do Rio de Janeiro, na tarde desta quarta-feira, 15. Na conversa que teve com os estudantes, Lula também falou sobre os investimentos que o governo federal está fazendo para levar o ensino técnico profissional às cidades do interior e para aumentar as vagas das universidades federais. “O jovem do interior do país não precisa mais virar um retirante para estudar na capital”, explicou.

    Já o ministro da Educação, Fernando Haddad, destacou a importância da descoberta de talentos entre crianças e jovens das escolas públicas. Os três mil finalistas da olimpíada, entre 18 milhões de inscritos em 2008, disse Haddad, estudam em escolas de 820 municípios. Para ele, isso significa que “talento não escolhe região, classe social ou religião”.

    Segundo Haddad, talentos não faltam, o que falta é o poder público oferecer as condições necessárias para que eles se desenvolvam onde estão, seja na cidade, seja no campo, no interior ou num grande centro urbano. O ministro informou aos medalhistas de ouro da Obmep que o investimento público direto em educação no país, em relação ao Produto Interno Bruto (PIB), já é 4,6% e que este é o maior percentual alcançado na história do Brasil. O PIB é a soma de todas as riquezas de uma nação.

    Quarta edição – Participaram da 4ª edição da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas, em 2008, cerca de 18 milhões de estudantes da educação básica. São alunos de 5ª a 8ª série (6º ao 9º ano) do ensino fundamental e do ensino médio que estudam em 35.913 escolas, de 5.395 municípios. Chegaram à segunda fase da Obmep mais de 700 mil estudantes e, destes, foram selecionados três mil para receber medalhas de ouro (300 alunos), de prata (900) e de bronze (1.800). Além das medalhas, os finalistas participam do programa de iniciação científica da olimpíada, com direito a uma bolsa de iniciação científica júnior do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

    A Obmep é uma promoção dos ministérios de Ciência e Tecnologia e da Educação, realizada pelo Instituto Nacional de Matemática Pura Aplicada (Impa) e pela Sociedade Brasileira de Matemática. O objetivo é incentivar o ensino de matemática e descobrir talentos entre estudantes das escolas públicas dos anos finais do ensino fundamental e de todo o ensino médio. A primeira olimpíada de matemática foi em 2005, com a participação de 10,5 milhões de alunos, de 31 mil escolas; a segunda teve 14 milhões de estudantes, de 32 mil escolas; na terceira, as inscrições subiram para 17,3 milhões de alunos, de 38 mil escolas.

    Rodrigo Dindo
  • Divulgado gabarito da Olimpíada Brasileira de Matemática

    O gabarito da primeira fase da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep) 2017 foi divulgado na tarde desta terça-feira, 20, juntamente com a íntegra dos cadernos de provas. Os estudantes que quiserem consultar o material devem acessar o site da Obmep. As provas foram realizadas no dia 6 de junho e a segunda fase está programada para 16 de setembro. A premiação será separada para as escolas públicas e privadas.

    A novidade desta edição é que a competição também foi aberta para estudantes das escolas particulares. Também a partir deste ano a Obmep, que conta com apoio do Ministério da Educação, acontece de forma integrada com a Olímpiada Brasileira de Matemática, conhecida pela sigla OBM. Em 2016, foram 17,8 milhões de inscritos que representaram 99,6% dos municípios brasileiros e 47 mil escolas. Um aspecto importante da Obmep é o reconhecimento dos alunos que não venceram, mas tiveram bom desempenho na competição. Além das 500 medalhas de ouro, 1.500 de prata e 4.500 de bronze, outras 45 mil menções honrosas foram distribuídas entre os participantes na última edição.

    De acordo com Claudio Landim, diretor-adjunto do Instituto de Matemática Pura e Aplicada (Impa), órgão vinculado ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), e coordenador nacional da Obmep, o intuito das Olimpíadas é ampliar o conhecimento dos estudantes sobre a matemática, sendo isso mais importante do que a conquista de medalhas. “Essa olimpíada é concebida não para alunos que conheçam a matemática. Mas, ao contrário, visa despertar o interesse do aluno e mostrar que a matemática é muito mais ampla do que o que é ensinado na escola. A prova é concebida de modo que o aluno possa resolver as questões sem saber muita matemática, só com um pouco de lógica, raciocínio e criatividade”, detalha.

    De acordo com ele, é justamente isso que tem ajudado a reverter certa dose de antipatia que muitos estudantes ainda nutrem pela disciplina. “Temos inúmeros casos de pessoas que descobrem vocação para área de exatas pela prova”, disse. As ações da Obmep vão além da prova e também têm foco na formação de alunos e professores, visando a solução de problemas. Isso porque, segundo Landim, “a grande missão da olímpiada é melhorar a qualidade do ensino da matemática nas escolas.”

    Assessoria de Comunicação Social 

  • Evento já recebeu 12 milhões de inscrições de estudantes

    Alunos do sexto ao nono ano do fundamental e das três séries do ensino médio podem se inscrever na Obmep (Foto: Wanderley Pessoa) Até a manhã desta sexta-feira, 23, a 8ª Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep) recebeu 12,2 milhões de inscrições de estudantes da educação básica de 27,3 mil escolas.

    A adesão das secretarias estaduais e municipais de educação e a inscrição de escolas e alunos podem ser feitas até dia 30 de março, pela internet. Na Obmep, a inscrição dos estudantes deve ser feita pelas escolas. Podem participar alunos do sexto ao nono ano do ensino fundamental e das três séries do ensino médio.

    A coordenadora da olimpíada, Mônica Souza, lembra aos gestores das escolas e aos professores que o regulamento da edição da Obmep 2012 traz três alterações no quesito premiação.

    A primeira mudança se refere ao aumento do número de estudantes convidados a participar do programa de iniciação científica júnior, com bolsa do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), que passa de 3,2 mil para 4,5 mil alunos. A segunda é o aumento do número de certificados de menção honrosa, de 30 mil para 46,2 mil; e a premiação será estendida a 1 mil professores.

    Calendário– As datas da Olimpíada são as seguintes: dia 30 de março, encerramento das inscrições; 5 de junho, aplicação das provas da primeira fase nas escolas; 26 de junho, último prazo para as escolas enviarem os cartões-resposta dos classificados para a segunda fase; 15 de agosto, divulgação dos classificados para a segunda fase e do local de realização das provas; 15 de agosto a 14 de setembro, período para as escolas indicarem, na página eletrônica da Obmep, os professores dos alunos classificados para a segunda fase; 15 de setembro, às 14h30 (horário de Brasília), provas da segunda fase; 30 de novembro, divulgação dos premiados na página eletrônica da olimpíada.

    Promovida pelos ministérios da Ciência, Tecnologia e Inovação e da Educação, a Obmep é realizada pelo Instituto Nacional de Matemática Pura Aplicada (Impa) com o apoio da Sociedade Brasileira de Matemática.

    Ionice Lorenzoni

    Confira o regulamento da 8ª edição na página eletrônica da Obmep.
  • MEC prorroga contrato com Instituto de Matemática e olimpíada está garantida

    O ministro Mendonça Filho, com o diretor geral do Impa, Marcelo Viana, e a secretária executiva do MEC, Maria Helena Guimarães de Castro, explica a prorrogação de contrato com o instituto (Foto: Mariana Leal/MEC) O Ministério da Educação prorrogou nesta quarta-feira, 25, em parceria com o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), o contrato de gestão firmado com o Instituto de Matemática Pura e Aplicada (Impa). A parceria, iniciada em 2000, está garantida por mais um ano: o MEC vai contribuir com R$ 32,5 milhões para o funcionamento do instituto. Desse montante, R$ 26,5 milhões serão destinados à realização da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep).

    Os outros R$ 6 milhões serão investidos no projeto de expansão das atividades, instalações físicas e laboratoriais do Impa. Dentro da iniciativa, figura a proposta de realização de eventos como a Olimpíada Internacional de Matemática, em 2017, e o Congresso Internacional de Matemáticos, em 2018.

    Segundo o ministro Mendonça Filho, investir em matemática possibilita a propagação dessa área do conhecimento de uma forma mais ampla junto à educação como um todo. “É uma maneira de incorporar alunos que muitas vezes têm dificuldade com a matemática e ao mesmo tempo estimular jovens talentos, para que possam se licenciar nessa área e na atividade docente”, ressaltou.

    Academia– O Impa foi a primeira unidade de pesquisa criada pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), em 1951. Em 2000, o Impa e outras unidades de pesquisa que faziam parte da estrutura do CNPq foram transferidas para o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI). O instituto é considerado um centro de pesquisa com renome internacional, tido como o instituto de matemática de maior prestígio na América Latina. Possui alto nível de produção cientifica: na última década, a média anual de artigos publicados em revistas internacionais é 2,03 por pesquisador, contra 1,89 em Harvard e 1,83 em Princeton, duas das mais prestigiadas universidades norte-americanas.

    A instituição busca também melhorar o ensino de matemática nas escolas brasileiras. Entre as principais formas de difusão e estímulo ao ensino da disciplina estão a Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep) e a Olimpíada Brasileira de Matemática (OBM), anualmente realizadas pela organização em parceria com o Governo Federal e outras instituições. As olimpíadas também revelam talentos na área, com a possibilidade de oferta de bolsas de estudo e preparação de alunos para participarem de competições internacionais.

    Assessoria de Comunicação Social

    Assista:

Fim do conteúdo da página