Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
  • Estudante brasileiro é premiado em feira de ciências nos EUA

    Com a pesquisa sobre um antiviral natural, o estudante cearense Helyson Lucas Bezerra Braz conquistou medalha de bronze na maior feira de ciências estudantil de nível médio do mundo, a Intel International Science and Engineering Fair (Isef), realizada em Pittsburg, EUA, em maio deste ano. Ele se prepara, agora, para apresentar a nova etapa de seu trabalho na famosa Genius – International High School Environmental Project Olympiad, prevista para junho de 2016, em Nova York.

    Aluno do campus de Limoeiro do Norte do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE), Helyson iniciou a pesquisa com dados coletados na sua comunidade, a pequena Iracema (aproximadamente 14 mil habitantes), a 296 quilômetros de Fortaleza. A população local costuma usar vegetais ricos em vitamina C para combater os sintomas da gripe. Com a mistura de acerola, caju, goiaba e óleo de romã, Helyson preparou o que denomina de polpa, que se mostrou um poderoso antiviral.

    A orientadora da pesquisa, professora Renata Chastinet, conta que foram realizados testes em pessoas que tomaram o medicamento natural e em outras a quem foi ministrado remédio industrializado. Aquelas que tomaram a polpa tiveram melhora no sistema imunológico, com aumento de leucócitos, redução de sintomas e destruição mais rápida do vírus. “Ele descobriu que as substâncias agem no envoltório dos microrganismos”, diz a orientadora.

    Nessa nova etapa, que será apresentada em Nova York, a pesquisa está na fase computacional. “Agora, é bioinformática”, explica o estudante, que simula no computador mutações do vírus para verificar como estes reagem às substâncias da polpa. “A expectativa para Nova York é de bons resultados para a pesquisa, divulgando práticas com medicamentos naturais”, diz Helyson, que completou 19 anos e pretende seguir a carreira de pesquisador nos cursos de farmácia, química ou biotecnologia.

    Ana Cláudia Salomão

  • Instituto gaúcho representa o Brasil em feira de ciências

    O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-Rio-Grandense representará o Brasil na International Science and Engineering Fair (Intel Isef), que começa no domingo, 10, e vai até o dia 15, em Reno, Nevada (EUA). Lá, será apresentado o projeto Sequestro de Carbono: Estudo Realizado com Árvores Exóticas e Árvores Nativas do sul do Brasil.

    Elaborado pelas alunas Camila Blume Zilles, Duhanne Machado Scharlau e Jenifer Teixeira Severo, o projeto foi o primeiro colocado, na categoria Ciências Biológicas, na 7ª Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (Febrace) da Universidade de São Paulo (USP), em março. Orientado pela professora de biologia Lacina Maria Freitas Teixeira, o trabalho faz um estudo comparativo entre diferentes espécies, considerada a correlação entre a massa de um vegetal e sua capacidade em absorver gases poluentes da atmosfera.

    A Intel Isef é a maior feira de ciências e engenharia do mundo. Anualmente, reúne cerca de 1,6 mil jovens cientistas de 50 países para compartilhar e premiar estudos independentes, além de concorrer a quase US$ 4 milhões em prêmios e bolsas de estudo.

    Assessoria de Imprensa da Setec
  • Programa Nacional de Apoio às Feiras de Ciências da Educação Básica

     Programa Nacional de Apoio às Feiras de Ciências da Educação Básica - Fenaceb
     [ Natureza do Programa  |  Objetivos  |  Comitê Científico Nacional  |  Feiras de Ciências  ]

     


    Edital Fenaceb 2007  Apoio a Eventos Científicos


    ATENÇÃO: Divulgação do Resultado da Avaliação adiado para o dia 4 de julho de 2007


    Confira a relação dos projetos habilitados e não-habilitados para avaliação do mérito (1ª Chamada)

                   

     2ª Chamada - até 29 de junho- Clique aqui

    Leia os Resultados da Avaliação: Lista de Projetos com Fianciamento Aprovado



    Natureza do Programa


    A Secretaria de Educação Básica do Ministério da Educação (SEB/MEC) vem intensificando esforços no sentido de apoiar o desenvolvimento e a valorização do ensino de Ciências junto aos professores e alunos do Ensino Fundamental (5ª a 8ª Séries) e Médio.Nessa direção, a política de Educação Básica do MEC tem dado ênfase especial a um conjunto de fatores motivadores de mudanças significativas na organização dessa modalidade de ensino, tais como: elaboração de um programa sistemático e efetivo de formação continuada dos professores, que possibilite sua atualização permanente em termos científicos e pedagógicos; promoção de mecanismos institucionais de valorização do conhecimento e da prática científica e pedagógica dos professores; desenvolvimento de currículos com ênfase na abordagem prática e problematizadora; e existência de ambientes de aprendizagem científica, em termos de laboratórios e/ou equipamentos.Dentre outras iniciativas que integram essa política no âmbito da SEB, vale destacar: o Prêmio Ciências, que visa selecionar projetos inovadores no aprendizado das Ciências da Natureza e Matemática, no Ensino Médio; apoio à realização de eventos científicos como as Olimpíadas de Matemática e relacionadas a outras disciplinas que integram o currículo escolar, com o objetivo de estimular nos alunos da 5ª à 8ª série do Ensino Fundamental e das três séries do Ensino Médio o raciocínio, o desenvolvimento do senso crítico e de bons métodos de estudo; a Coleção Explorando o Ensino, que busca apoiar o trabalho científico e pedagógico do professor em sala de aula.

    É nesse contexto que se insere a instituição do Programa Nacional de Apoio a Feiras de Ciências - Fenaceb, concebido para, mediante o apoio a eventos como feiras de ciências, mostras científicas e outros similares, expandir e incrementar o ensino de Ciências da Natureza, Matemáticas e suas Tecnologias.

Fim do conteúdo da página