Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
  • Curso técnico faz a integração entre o Brasil e o Uruguai

    A uruguaia Silvana Ferreira, de 40 anos, acaba de ingressar em um curso técnico em seu país, convicta de que está cada vez mais perto da realização de um sonho que vem nutrindo desde a adolescência: trabalhar no Brasil. A razão dessa expectativa é que, ao término de seus estudos, receberá um certificado com validade nos dois países.

    Isso é possível porque Silvana ingressou em um curso técnico binacional que faz parte do projeto Escolas Técnicas de Fronteira, capitaneado pela Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (Setec) do Ministério da Educação, em parceria com o Instituto Federal Sul-rio-grandense e o Consejo de Educación Tecnico Profesional da Universidade del Trabajo Del Uruguay (CETP-UTU).

    A iniciativa prevê a integração entre Brasil e Uruguai na área da educação profissional e vem sendo planejada desde 2006. A concretização deste trabalho teve inicio no dia 2 de março, quando começaram as aulas do curso técnico em informática para a internet, oferecido pelo campus avançado Santana do Livramento, do instituto.

    Na última segunda-feira, 28, começaram as aulas do segundo curso previsto: técnico em controle ambiental. Coordenado pela Universidade do Trabalho do Uruguai (UTU), conta com 30 alunos matriculados e funciona na Escola Técnica Superior de Rivera. Assim como no curso ministrado no Brasil, 50% das vagas são destinadas a brasileiros e a outra metade para uruguaios. Serão quatro semestres de aulas e 240 horas de estágio.

    A diretora da Escola Técnica Superior de Rivera, Maria Del Carmen dos Santos Farias, lembrou que a integração, já existente nas famílias, amizades, no comércio e nos clubes, está acontecendo, agora, também no ensino técnico profissional. “Compartilhar a mesma sala é um grande desafio, que nos enche de alegria”, declarou.

    O diretor do campus avançado Santana do Livramento, Alessandro Lima, lembrou aos estudantes que eles estão fazendo parte de um momento marcante na história da educação profissional, e que, portanto, parte do sucesso vai depender deles. “Afinal trata-se de um projeto piloto, que servirá de referencial para outras iniciativas semelhantes em regiões de fronteira”, observou.

    Assessoria de Imprensa do Instituto Sul-rio-grandense
  • Parceria entre instituições abre mercados no sul

    Curso de informática atrai estudantes brasileiros e uruguaios (Foto: Arquivo IFSul) A vocação para o desenvolvimento de energia eólica, produção de biomassa, cultivo de vinhedos e turismo definiram a ampliação dos cursos técnicos de fronteira no campus Santana do Livramento do Instituto Federal Sul Rio-grandense (IFSul), que fica na divisa das cidades de Santana do Livramento (RS) com Rivera, no Uruguai.

     

    Em 2014, segundo o diretor do campus, Paulo Asconavieta, a unidade vai abrir cursos técnicos integrados de sistemas de energia renovável e eletroeletrônica para jovens que estejam ingressando no ensino médio no Brasil e no secundário no Uruguai. Ao mesmo tempo, o campus vai continuar com o curso de informática para a internet para jovens e adultos que tenham concluído o médio. Nessa área, o campus já formou a primeira turma e tem outras oito em funcionamento. As vagas de todos os cursos são repartidas entre brasileiros e uruguaios – 50% para cada nacionalidade.

     

    Do outro lado, em Rivera, o processo é o mesmo, mas os cursos técnicos são de outras áreas. A instituição parceira do campus Santana do Livramento é a Universidade do Trabalho do Uruguai (UTU) e a formação é ministrada pela Escola Técnica Superior de Rivera, que corresponde ao status do instituto federal de educação profissional e tecnológica no Brasil.

     

    A Escola Técnica Superior de Rivera vai abrir cursos de turismo e logística em 2014 e continuar com o curso atual de controle ambiental. No próximo ano, segundo o professor Paulo Asconavieta, o projeto Escolas Técnicas de Fronteira, que é uma iniciativa conjunta entre Brasil e Uruguai para ampliar a educação profissional, fortalecer as áreas de fronteira e desenvolver a região, terá oito cursos em funcionamento, sendo quatro em cada país, todos focados no potencial das duas cidades.


    Projeto – Criado em 2009, o projeto Escolas Técnicas de Fronteira tem forma própria de trabalho: definição conjunta de cursos e da linha pedagógica pelas instituições dos países envolvidos. No caso de Santana do Livramento e Rivera, cada país tem direito a 50% das vagas nos cursos, o ensino é ministrado em português e espanhol, e a certificação é válida no Brasil e no Uruguai, o que garante acesso ao mercado de trabalho nos dois países.

     

    Hoje, segundo o diretor do campus de Santana do Livramento, ao final do curso técnico os brasileiros já recebem certificado de proficiência em língua espanhola. Para assegurar a paridade de direitos, Paulo Asconavieta solicitou ao Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) autorização para o campus ser um centro emissor do Certificado de Proficiência em Língua Portuguesa para Estrangeiros (Celpe-Bras) para os estudantes uruguaios formados na unidade.


    Potencial – Santana do Livramento, que fica na mesorregião sudoeste do Rio Grande do Sul, tem 82.500 mil habitantes segundo o censo demográfico de 2010. A região em que o município está situado, diz o diretor do campus, tem clima propício para a produção de frutas, com destaque para a vinicultura. O turismo de compras também é forte. Rivera se destaca pelos freeshops que atraem gaúchos de todo o estado e moradores da região Sul. Tem ainda um porto seco por onde circulam mercadorias do Brasil, Uruguai e Argentina por rodovias, além do começo da revitalização das linhas férreas.

     

    A formação profissional, diz Paulo Asconavieta, tem o compromisso de qualificar trabalhadores para desenvolver os potenciais da região e promover a integração. Rivera, que faz divisa com Santana apenas por uma rua, tem 65 mil habitantes.

     

    Ionice Lorenzoni

  • Projeto Escolas de Fronteira inicia curso técnico binacional

    O segundo curso técnico binacional do projeto Escolas Técnicas de Fronteira inicia suas atividades nesta segunda-feira, 28, em Rivera, no Uruguai. Coordenado pela Universidade do Trabalho do Uruguai (UTU), o curso técnico em controle ambiental conta com 30 alunos matriculados, sendo 15 uruguaios e 15 brasileiros. A aula inaugural está marcada para as 19h e integra a programação oficial do Fórum Binacional de Educação Técnica na Fronteira.

    Desde o dia 2 de março, já está funcionando em Santana do Livramento (RS) o curso técnico binacional em informática para internet, oferecido pelo campus avançado Santana do Livramento do Instituto Federal Sul-rio-grandense, a primeira escola técnica de fronteira do país. Ao todo são 40 alunos, 20 brasileiros e 20 uruguaios.

    Agora, com o curso em Rivera, a Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (Setec) do Ministério da Educação conclui oficialmente o projeto piloto das escolas técnicas de fronteira. A meta é ter parceria, até 2014, com todos os países que fazem fronteira com o Brasil.

    Fórum– Para celebrar esta etapa, a solenidade de início do ano letivo foi incluída na programação do fórum, que ocorrerá nesta segunda, 28, e terça-feira, 29. O evento é organizado pelo instituto e pela UTU, e será realizado no Salão de Atos da Intendência Municipal de Rivera.

    O objetivo do fórum é promover espaços de discussão sobre assuntos de interesse nas regiões de fronteira. As três principais temáticas a serem abordadas durante as palestras são meio ambiente, direitos dos trabalhadores na fronteira, imigração e residência nos países do Mercosul e realidade linguística da fronteira e os desafios para o ensino.

    Assessoria de Imprensa do Instituto Federal Sul-rio-grandense
Fim do conteúdo da página