Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
  • Relatos de experiências desenvolvidas em escolas revelam criatividade

    Natureza, gastronomia, esportes, história, artes, ciência estão entre os cerca de 20 temas selecionados a cada ano para a Multifeira Teofânia, que é promovida pelo conselho escolar do Instituto Estadual de Educação Professora Irmã Teofânia, em Garibaldi (RS).

    Ao relatar o desenvolvimento do projeto da multifeira no Banco de Experiências dos Conselhos Escolares, no Portal do MEC, o conselho escolar do instituto registrou que essa é uma forma de despertar o interesse dos estudantes pelo conhecimento e pelas artes e abrir espaço para o surgimento de talentos.

    A cada início de ano letivo, o coletivo da escola – alunos, professores e conselho escolar – planeja e elabora a multifeira: decide os temas, objetivos, cronograma de atividades, o que cada turma vai desenvolver e quando será realizada a feira. Para o evento são montados estandes, palco, bancas de exposição e convidadas as escolas vizinhas para participar da festa.

    Na multifeira, os estudantes fazem a recepção dos visitantes, apresentam as pesquisas que fizeram e os trabalhos que desenvolveram. Se um dos temas for gastronomia, eles expõem os alimentos que produziram; se for teatro, apresentam as peças; se pesquisaram sobre a história da cidade, expõem e mostram o que aprenderam. O conselho escolar do Instituto Irmã Teofânia foi criado há 15 anos.

    Banco– O banco de experiências dos conselhos escolares conta hoje com 177 relatos de atividades desenvolvidas por escolas públicas das cinco regiões do país. O objetivo do banco é reunir projetos e mostrar a criatividade dos conselhos e as soluções que propõem diante da realidade das escolas onde atuam.

    A Escola Municipal Marineide Pereira Cunha, de Mossoró (RN), registrou no banco o projeto Informática e Cidadania – rompendo o abismo tecnológico. Nesse trabalho, o conselho relata o desenvolvimento de um curso de informática criado exclusivamente para pais de alunos. A primeira turma qualificou 12 pais no laboratório da escola.

    Já o conselho da Escola de Ensino Fundamental João de Moura Carvalho, de Igarapé-Açu, no Pará, criou um projeto de resgate da leitura para os professores. Durante três meses, cada professor escolhia um ou mais livros de literatura para ler e findo o prazo os colegas se reuniam para falar sobre as obras. Em 2010, segundo relato do conselho escolar, os professores realizaram quatro encontros para compartilhar o prazer da leitura.

    Conselho– A constituição e o funcionamento dos conselhos escolares estão previstos na Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB), Lei nº 9396/1996, e agora reafirmados no Plano Nacional de Educação (PNE) 2011-2020, que tramita no Congresso Nacional desde dezembro de 2010.

    Ionice Lorenzoni

    Conheça as experiências registradas no banco
Fim do conteúdo da página