Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
  • Aplicativo Enem permite acompanhar as fases do exame


    Participantes da edição 2017 do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e interessados em acompanhar as várias fases do exame já podem baixar o aplicativo Enem. Apresentada pela primeira vez na edição do ano passado, a ferramenta tem novidades em 2017, como uma seção de notícias e acesso liberado ao público geral. Isso permitirá que pais, professores e jornalistas acompanhem as áreas que não exigem login do participante. Outra novidade é a liberação dos espelhos de redação.

    O aplicativo, além de ser mais uma forma de contato entre o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) e o participante, auxilia na organização e cumprimento de prazos relacionados ao Enem. Antes do período de provas, podem ser visualizados dados da situação da inscrição, cronograma, locais de provas e o cartão de confirmação. Após os testes, o aplicativo fornece o gabarito, o resultado individual e o espelho da redação.

    Procedimentos – A função Alerta permite ao usuário selecionar sobre quais informações quer ser notificado quando ocorrerem atualizações no cronograma. Também é possível fazer uma checagem das ações concluídas durante as etapas do exame, facilitando o acompanhamento de pendências. No mural de avisos, o participante pode acessar comunicados oficiais do Inep. Demais dúvidas poderão ser solucionadas na seção “Perguntas frequentes”, sempre disponível.

    Após a instalação, é necessário que o participante insira o CPF e a senha cadastrada no sistema de inscrição do Enem. O aplicativo é gratuito e tem como objetivo ajudar os participantes nas diversas fases do exame. A ferramenta pode ser acessada de celulares e tabletes e está disponível nas plataformas Android e iOS.

    Para garantir a segurança na utilização da ferramenta, a recomendação é baixar o app direto da loja de aplicativos do seu celular – Google Play e App Store – e confirmar se o nome do desenvolvedor é o Inep. No ano passado, o aplicativo Enem teve quase 3 milhões de downloads, tornando-se o número um na categoria educação.

    Assessoria de Comunicação Social, com informações do Inep.

  • App do Sisu para smartphones tem mais de 230 mil downloads

    Bem avaliado nos principais blogs de tecnologia do país, o aplicativo do Sisu alcançou, em quatro dias de uso, o primeiro lugar entre os apps gratuitos na categoria educação. Mais de 230 mil pessoas fizeram o download da tecnologia, que recebeu 190 mil assinaturas. A resposta do público também foi satisfatória: com 4,6 mil opiniões espontâneas, o programa teve 96% de avaliações positivas. Esse foi o primeiro processo seletivo em que o Sisu teve versão de aplicativo para celular.

    O app não está mais disponível para download. A próxima edição do Sisu, no entanto, deverá contar com o recurso para auxiliar os candidatos no processo.

    Assessoria de Comunicação Social

  • Edição deste ano terá identificação biométrica e novo aplicativo; inscrições começam em 9 de maio

    Ao lado do secretário-executivo Luiz Cláudio Costa, e do presidente do Inep, Luiz Roberto Curi, Mercadante destacou a segurança da edição deste ano do Enem: “Não há nenhuma possibilidade de uma pessoa fazer prova no lugar de outra” (foto: João Neto/MEC)As inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2016 começam em 9 de maio próximo. O prazo vai até às 23h59 do dia 20. A edição do exame deste ano trará, pela primeira vez, o reconhecimento individual, com a impressão da digital na ficha de identificação do participante por meio de selo gráfico, autoadesivo. Todos os detalhes foram apresentados pelo ministro Aloizio Mercadante nesta quinta-feira, 14, e estarão no edital do Enem 2016, a ser publicado no Diário Oficial da União desta sexta-feira, 15.

    “A coleta acontece no primeiro ou no segundo dia de provas; não há nenhuma possibilidade de uma pessoa fazer prova no lugar de outra”, ressaltou o ministro. O novo procedimento de segurança soma-se aos demais — envelope com lacre e detector de metais. Já o aplicativo Enem 2016 para celulares, desenvolvido pelo MEC, trará todas as informações necessárias aos participantes ao longo do exame, além do acompanhamento da inscrição.

    Disponível para smartphones, o recurso também servirá para o envio de informações aos inscritos, como cronograma do Enem, mural de avisos, dicas e resultados, além de espaço para contato. “O participante vai ter um instrumento de diálogo contínuo com o MEC e vai poder guardar a senha de forma segura”, destacou Mercadante.

    Isenção — O Enem deste ano tem uma estimativa de 8 milhões de inscrições. “Destes, 2,2 milhões são estudantes que estão no último ano do ensino médio, que precisam fazer a prova este ano”, lembrou o ministro. Além dos concluintes do ensino médio em 2016 matriculados em escolas da rede pública, estão isentos da taxa de inscrição aqueles que se declararem carentes. Como previsto na edição do ano passado, os isentos que não comparecerem nos dois dias de provas perderão o benefício na próxima edição.

    Aqueles que obtiveram isenção no Enem de 2015, não compareceram aos dois dias de provas, mas pretendem pedir nova isenção, devem justificar a ausência, conforme previsto no edital. Haverá campo específico para o esclarecimento no próprio sistema de inscrição.

    A medida, adotada a partir da edição do ano passado, contribui para reduzir a abstenção e, por consequência, evitar desperdício de dinheiro público. O Enem de 2015 contou com 7,7 milhões de inscritos. A abstenção ficou em 25,5%, a menor da série histórica do exame.

    Para dar mais comodidade e opções aos não isentos da taxa, o pagamento, este ano, pode ser efetuado em qualquer agência bancária, casa lotérica ou agência dos Correios, por meio de Guia de Recolhimento da União (GRU). O valor da taxa será de R$ 68. O pagamento deve ser feito até às 21h59 (de Brasília), do dia 25 de maio.

    A confirmação das inscrições será feita apenas pela Página do Participante. No ato da inscrição, os candidatos precisarão informar um número de celular ou de telefone fixo válidos, bem como cadastrar um endereço eletrônico (e-mail), o qual não pode ser utilizado por outro participante.

    Especiais — Pessoas com deficiência ou necessidades específicas contarão com atendimento especializado, de acordo com solicitação a ser feita pelo próprio interessado no sistema de inscrições. Para tanto, devem dispor de documento comprobatório, legível. Nele, deve constar o nome completo do participante; o diagnóstico com a descrição da condição que motivou o pedido de atendimento diferenciado; a assinatura e a identificação do médico ou profissional especializado, com o número do registro no Conselho Regional de Medicina ou no conselho de classe.

    Nome — Travestis e transexuais que pretendem ser identificados pelo nome social devem fazer a inscrição normalmente, no período estabelecido no edital, de 9 a 20 de maio. Entretanto, para usar o nome social, precisam encaminhar cópia de documento de identificação, foto recente e formulário disponível on-line, preenchido, entre os dias 1º e 8 de junho próximo, pelo sistema, na Página do Participante.

    Provas — Nos dois dias de exame — em 5 e 6 de novembro —, os portões nos locais de provas serão abertos às 12h e fechados às 13h (horário oficial de Brasília). As provas terão início às 13h30. O tempo extra de meia hora será usado para procedimentos de segurança, como revista eletrônica, e para dar tempo a todos os presentes de entrar em sala e guardar os pertences. O período total de duração das provas permanece em quatro horas e meia no primeiro dia (sábado) e cinco horas e meia no segundo dia (domingo).

    Oportunidades — A nota do Enem é usada como critério de acesso à educação superior por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) e do Programa Universidade para Todos (ProUni). A participação na prova também é requisito para receber o benefício do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), participar do programa Ciência sem Fronteiras ou ingressar em vagas gratuitas dos cursos técnicos oferecidos pelo Sistema de Seleção Unificada da Educação Profissional e Tecnológica (Sisutec). Além disso, estudantes maiores de 18 anos podem obter a certificação do ensino médio por meio do Enem.

    Em caso de dúvidas sobre o exame, os estudantes podem ligar para o telefone 0800 616161.

    Assessoria de Comunicação Social

    Confira a apresentação do ministro Aloizio Mercadante sobre o Enem de 2016

    Ouça:

  • Estudantes criam aplicativo que estimula leitura infantil

    Com o telefone celular, é possível, ao apontar para o desenho no livro, ver as figuras em 3D, no formato realidade aumentada (foto: divulgação)Dois estudantes do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) desenvolveram um aplicativo para smartphone que usa a realidade aumentada em livros infantis. Paula Simão da Costa e Sidney Ferreira Coutinho, alunos do curso técnico em programação de jogos digitais do Centro Universitário Monte Serrat (Unimonte), em Santos (SP), criaram o projeto Aprender: Incentivo à Leitura no Processo de Alfabetização. A proposta é estimular a leitura e torná-la mais atrativa para as crianças,

    Com uma câmera de telefone celular, a criança, ao apontar para o desenho no livro, consegue ver as figuras em 3D, no formato realidade aumentada, algumas com animações. Também é possível ouvir o áudio da história e fazer pausas, quando necessário. “Estamos aprimorando o aplicativo para que ele fique cada vez melhor e com mais opções”, disse Paula.

    Por se destacar como projeto inovador, o aplicativo concorreu ao concurso Projeto Neorama, iniciativa da prefeitura de Santos para incentivar o empreendedorismo. No evento, os alunos conquistaram o primeiro lugar ao concorrer com estudantes de 35 escolas técnicas. “Montamos um estande para fazer a apresentação do aplicativo ao nosso público-alvo, as crianças, que amaram a invenção”, disse Paula. “Os pais queriam até comprar o livro, mas ainda não está disponível.”

    De acordo com a estudante, a próxima etapa do projeto é a do lançamento dos livros no mercado. “Gostaríamos de fazer parceria com alguma editora para que os livros possam ser comercializados”, afirmou.

    Mais informações sobre o aplicativo podem ser conferidas no vídeo do Projeto Aprender.

    Programa — Criado em outubro de 2011, o Pronatec tem como proposta expandir, interiorizar e democratizar a oferta de cursos técnicos e profissionalizantes para jovens e trabalhadores, de forma a promover a inclusão social e o aumento da competitividade e da produtividade no país. O Pronatec também atua na melhoria da qualidade do ensino médio, em articulação com a educação profissional.

    São ofertantes do Pronatec os institutos federais de educação, ciência e tecnologia, as redes estaduais de educação profissional, os serviços nacionais de aprendizagem e instituições particulares.

    Assessoria de Comunicação Social, com informações da Setec

  • Estudantes que vão fazer o exame em novembro podem baixar aplicativo e se manter atualizados

    Os estudantes que vão participar da edição de 2016 do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) têm à disposição, desde a manhã desta quarta-feira, 1º de junho, o aplicativo que permite o acompanhamento das informações sobre as várias etapas do exame por meio de smartphones e tablets. Com ele, o candidato estará sempre atualizado. O aplicativo pode ser instalado nas plataformas Android, iOS e Windows Phone.

    Além de facilitar o contato com os participantes, o aplicativo, desenvolvido pelo Ministério da Educação, em parceria com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), vai auxiliar a organização pessoal e o cumprimento de prazos, ao fornecer dados como situação da inscrição, cronograma, locais de provas, cartão de confirmação, gabaritos e resultados das provas.

    Entre as funcionalidades oferecidas está a função alerta, que permite ao estudante selecionar as informações sobre as quais deseja ser notificado quando forem atualizadas dentro do cronograma. O estudante também pode fazer uma listagem das ações já concluídas durante as etapas do exame, de forma a controlar as pendências.

    No mural de avisos, o participante tem acesso a comunicados oficiais enviados pelo Inep. Em casos de dúvidas, a sessão perguntas frequentes estará sempre disponível, bem como as informações sobre o cadastro.

    Segurança — Após a instalação, é necessário que o estudante insira o login e a senha cadastrados no sistema de inscrição do Enem. Para garantir a segurança no uso da ferramenta, o candidato deve baixar o aplicativo diretamente da loja do celular — Google Play (Android), App Store (iOS) e Windows Store (Windows Phone) — e confirmar se o nome do desenvolvedor da ferramenta é o do Inep. O aplicativo destina-se tão-somente à consulta dos estudantes inscritos no exame.

    Mais informações na página do Enem na internet.

    Leia também: Edição deste ano recebe mais de 8,6 milhões de confirmações e supera 2015 em quase 1 milhão

    Assessoria de Comunicação Social, com informações do Inep

    Ouça:

  • MEC desenvolve aplicativo para combater mosquito Aedes aegypti com ação coletiva

    A secretária de Educação Continuada e Inclusão, Ivana de Siqueira, explica que a intenção do Desafio Aedes é mobilizar ainda mais as escolas

    O combate ao mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya ganhou mais uma valiosa ferramenta, com o lançamento do aplicativo Desafio Aedes pelo Ministério da Educação. Trata-se de um jogo que exige dos usuários o cumprimento de tarefas que previnem a proliferação do mosquito. Os estudantes vencedores do concurso Pesquisar e Conhecer: Para combater o Aedes aegypti, também promovido pelo MEC, testaram e aprovaram o aplicativo.

    Desenvolvido pelo Departamento de Tecnologia da Informação (DTI) do MEC, o aplicativo estará disponível nas plataformas Ios e Android já no final de novembro. O jogo desafia os participantes a destruir virtualmente os focos do mosquito, seguindo critérios que já conhecemos na prática: a eliminação de água parada e a limpeza de locais com entulhos e lixo.

    A secretária de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão, Ivana de Siqueira, explica que a intenção do jogo “é seguir com o trabalho coletivo, de forma lúdica, mobilizando a rede de ensino para as práticas que colaboram para o controle do inseto em diferentes regiões do país”.

    “Os estudantes gostaram muito porque é uma forma lúdica de interagir. A tecnologia cria um processo colaborativo entre eles, porque o trabalho é coletivo”, explica Ivana.

    Eduardo Leite acredita que com tecnologia os estudantes aprendem mais Para as estudantes da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTPR), Fernanda Nunes, Juliana Freitas e Vassula Paiva, a ferramenta vai ser muito útil. Há três anos as jovens realizam um projeto de combate aos insetos, espalhando pelo campus universitário, em pontos estratégicos, armadilhas para coleta dos ovos. Pela contagem, são identificados o período do ano com maior incidência da doença. “Esse aplicativo vai ser uma ferramenta a mais para levarmos adiante nosso projeto”, afirma, Juliana, 18 anos.

    Eduardo Leite, 13 anos, foi outro estudante que aprovou a utilização do aplicativo na hora de aprender. Aluno da Escola Primeiro Passo, em Rio Branco, o menino garante que, com tecnologia, os jovens vão querer aprender mais. “Muita gente vê o uso da tecnologia para ensinar como uma coisa ruim, por exemplo minha mãe não gosta muito que eu use o celular”, comenta. “Mas eu acho que a introdução da tecnologia para apresentar às crianças uma nova forma de controlar as doenças é uma coisa muito boa, porque as crianças não gostam de decorar, elas gostam de aprender jogando”, garante Eduardo.

    Assessoria de Comunicação Social

  • Participantes do exame podem baixar aplicativo a partir das 10 horas

    Estará disponível, gratuitamente, a partir das 10 horas desta quarta-feira, 1º, o aplicativo voltado para os participantes do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). A ferramenta possibilita o acompanhamento das informações sobre as etapas do exame por meio de smartphones e tablets, mantendo o estudante sempre atualizado. Pode ser instalada nas plataformas Android, iOS e Windows Phone.

    O aplicativo foi desenvolvido pelo Ministério da Educação (MEC), em parceria com Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).  Além de facilitar o contato com os participantes, ele vai auxiliar a organização pessoal e o cumprimento de prazos, disponibilizando dados como situação da inscrição, cronograma, locais de provas, cartão de confirmação, gabaritos e resultados das provas.

    Funcionalidades – Entre as funcionalidades oferecidas, está a função Alerta, que permite ao usuário selecionar quais informações ele deseja ser notificado quando forem atualizadas dentro do cronograma. É possível também ir fazendo um check list das ações já concluídas durante as etapas do Exame, facilitando o acompanhamento de pendências.

    No Mural de Avisos, o participante acessa os avisos e comunicados oficiais enviados pelo Inep. Em casos de dúvidas, a sessão perguntas frequentes estará sempre disponível bem como as informações sobre o cadastro.

    Segurança – Após a instalação, é necessário que o estudante insira o login e a senha cadastrados no sistema de inscrição do Enem. Para garantir a segurança na utilização da ferramenta, a recomendação é baixar direto da loja de aplicativos do seu celular - Google Play (no Android), App Store (no iOS) e Windows Store (para Windows Phone) - e confirmar se o nome do desenvolvedor da ferramenta é o Inep.

    Vale lembrar que o aplicativo do Enem é apenas para consulta daqueles estudantes que se inscreveram no exame. O período de inscrições para as provas de 2016 já foi encerrado, de acordo com a data estabelecida em edital.

    Assessoria de Comunicação Social, com informações da Assessoria de Comunicação do INEP 

    Veja também:
    Edição deste ano recebe mais de 8,6 milhões de confirmações e supera 2015 em quase 1 milhão. 

  • Pesquisadora cria aplicativo que auxilia estudo de biologia

    A melhor forma de assimilar conteúdo em um dia de estudos é abordado pelo aplicativo gratuito Approvado, que pretende apontar ao estudante a melhor técnica para atingir um alto nível de aprendizado. O aplicativo foi desenvolvido pela professora Roberta Ekuni de Souza, da Universidade Estadual do Norte do Paraná (Uenp), aluna de doutorado da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

    O aplicativo Approvado auxilia candidatos participantes de exames no estudo de biologia com técnicas de aprendizagem baseadas em pesquisas da área de neurociência cognitiva. A plataforma também faz parte da tese de doutorado de Roberta. Segundo ela, a eficácia da técnica do efeito do espaçamento e da prática de lembrar (retrieval practice) está comprovada na literatura científica. “Nosso trabalho visa a estudar o melhor esquema de repetição e de espaçamento via m-learning, ou seja, aprendizagem móvel (quantas vezes o conteúdo deve ser revisto e com que regularidade)”.

    Roberta salienta que a prática de lembrar fortalece as conexões cerebrais envolvidas na aprendizagem — no caso do aplicativo, os conteúdos de biologia. Associado a essa prática, o aplicativo distribui as repetições ao longo de uma semana.

    Outra técnica testada pelo aplicativo é a repetição, com o uso contínuo e repetido de exercícios sobre um mesmo tema. “Alunos que estudam em véspera de prova podem até tirar boas notas”, diz. “No entanto, já foi constatado que após uma semana, parte dos estudos cai no esquecimento.”

    A pesquisadora afirma que tem colaborado com divulgação científica dessas técnicas na plataforma Retrieval Practice, dos Estados Unidos. Nela estão disponíveis outros estudos sobre práticas de memorização. Para os próximos meses, está previsto o lançamento de uma nova versão em português da plataforma, voltada para os brasileiros que tenham interesse no tema.

    Instale o aplicativo APProvado

    Conheça a plataforma Retrieval Practice

    Assessoria de Comunicação Social 

    Matéria republicada com correção de informações

  • Professor de Rondônia cria aplicativo de celular para reforçar o ensino de história

    Aplicativo ajuda estudantes de Rondônia a aprender história dentro e fora de sala de aula (Arte: ACS/MEC)Para chamar a atenção dos alunos e auxiliar no aprendizado em sala de aula, o professor de história Jadiael Rodrigues da Silva, do município de Candeias de Jamari (RO), resolveu usar a tecnologia. Ele criou um aplicativo de celular que ajuda a reforçar os conteúdos trabalhados em sala de aula, por meio de textos e atividades extras. Embora ainda esteja em fase de testes, a novidade já tem surtido efeito, segundo o professor.

    Jadiael dá aula para os estudantes do ensino médio noturno da Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Carlos Drummond de Andrade, na região metropolitana de Porto Velho. O professor explica que os estudantes podem acessar pelo celular o plano de curso bimestral, as competências e habilidades esperadas e as formas de avaliação. Quase metade dos seus 240 alunos já baixaram o aplicativo, disponível na plataforma Android.

    A ferramenta, segundo Jadiael, ainda facilita na hora de contextualizar conteúdos e mobilizar para as discussões em sala de aula. “Como essas tecnologias já estão incorporadas no cotidiano dos alunos, decidi criar um aplicativo voltado para a minha disciplina, para que eu pudesse interagir com meus alunos e buscar um atrativo para que eles gostassem e passassem a ter mais interesse pela história”, conta.

    O professor, que leciona para os três anos do ensino médio, começou a testar o aplicativo há três meses. Apesar do pouco tempo, ele observa que os estudantes já demonstram maior interesse, especialmente os que viam a disciplina de história como algo ultrapassado.

    Além disso, Jadiael garante que a possibilidade de interação é um diferencial. “O aplicativo se tornou uma extensão da sala de aula. O aluno pode interagir também com os colegas e comigo dentro do aplicativo”.  

    Pela ferramenta, é possível gerar gráficos, relatórios, simulados e avaliar cada estudante por meio das tarefas disponíveis. O aplicativo envia os resultados para o professor, que pode gerar informações e relatórios por aluno e por turmas e saber como estão respondendo à disciplina.

    Para o segundo semestre, Jadiael planeja utilizar a plataforma também no reforço dos estudos para a próxima edição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), para os alunos do terceiro ano. A intenção é que os estudantes já possam se preparar para as provas e se acostumar com o formato do exame.

    Assessoria de Comunicação Social

  • Professor desenvolve aplicativo que permite aos estudantes dar retorno sobre conteúdos

    O professor Emílio Evaristo (primeiro à direita, de óculos) mostra a seus alunos a ferramenta Coaula (Foto: Arquivo pessoal) Professor de informática na Escola Técnica de Ceilândia (DF), Emílio Evaristo desenvolveu um aplicativo para promover a qualidade do ensino técnico. A ferramenta, que ele chamou de Coaula, permite que os alunos ofereçam aos professores uma resposta sobre o conteúdo, a didática ou qualquer outro aspecto da aula.

     A ideia surgiu quando o professor fez sua tese de doutorado em ciências da informação, na Universidade de Brasília (UnB), há dois anos. “Percebi que as tecnologias disponíveis não causavam grande impacto no modo das pessoas interagirem e o professor recebia pouco retorno sobre o que ensinava”, explicou Emílio Evaristo. “Por meio do aplicativo, ele conta com as informações necessárias a respeito da evolução da turma, podendo intervir a qualquer momento, sem que precise esperar o resultado final, as notas.”

    De acordo com o professor, foram identificadas cerca de 50 categorias de questões, e algumas foram escolhidas para serem apresentadas aos alunos de forma aleatória. As respostas geram um relatório em forma de gráfico colorido. “O aluno simplesmente escolhe o que vivencia dentro da sala de aula e acessa as alternativas de resposta que melhor se enquadram”, explicou Emílio Evaristo.

     A professora Mirian Neiva, da mesma escola, já tirou proveito da iniciativa para aprimorar suas aulas. “O professor tem todo o embasamento sobre a evolução da turma, então pode intervir em qualquer momento, não precisa esperar o resultado final, as notas.”

    Emílio Evaristo é professor de informática na instituição de Ceilândia há mais de oito anos. Desde 2015, quando defendeu sua tese de doutorado, criou quatro projetos que conquistaram o prêmio Ideia, Desafio de Educação Tecnológica e Profissional, promovido pela Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (Setec) do Ministério da Educação.

    A experiência com o Coaula foi tão positiva que no ano passado Emílio Evaristo desenvolveu mais três projetos. Um deles propõe que o currículo escolar seja mais flexível, com base no interesse do aluno. Os outros dois tratam de empreendedorismo e educação a distância. Todos têm em comum o foco no setor técnico profissional.

    O objetivo desses projetos, de acordo com o professor, é tentar solucionar ou minimizar alguns problemas crônicos do sistema educacional brasileiro – reduzindo a evasão escolar, fomentando o empreendedorismo e ampliando os cursos a distância no país. Juntos, eles garantiram à Escola Técnica de Ceilândia o primeiro lugar na categoria regional do prêmio Ideia – Desafio de Educação Tecnológica e Profissional, promovido pelo Ministério da Educação.

    Assessoria de Comunicação Social 

  • Sai a primeira versão de aplicativo voltado para bolsistas da Capes


    Já está disponível para download, de forma gratuita, o aplicativo móvel Bolsista Capes. Criado para atender bolsistas e ex-bolsistas da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), o aplicativo pode ser encontrado na App Store (iPhones e iPads) e no Google Play (telefones e tablets Android).

    Nesta primeira versão, os usuários podem acompanhar as bolsas da Capes, acessar informações dos processos (como vigência da bolsa e dados bancários cadastrados) e também visualizar o histórico de pagamentos efetivados. Podem utilizar o aplicativo bolsistas e ex-bolsistas de diversos programas e ações, entre eles, o Programa de Demanda Social (DS), Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (Pibid), Programa de Doutorado Pleno no Exterior e Programa de Doutorado-sanduíche no Exterior (PDSE).

    Novas versões do aplicativo estão previstas para os próximos meses, com acréscimos como a opção para receber notificações sobre pagamentos e comunicados da Capes, além da integração com o canal Linha Direta, disponível aos bolsistas no exterior.

    Aplicativos – Em março deste ano, a Capes lançou o aplicativo Sucupira Pró-Reitor, voltado a atender os pró-reitores das instituições de educação superior do Brasil. A plataforma permite acesso a dados institucionais preenchidos pelos coordenadores de programas da pós-graduação das instituições.

    Também disponível para download, o aplicativo Periódicos permite que o usuário tenha acesso ao acervo do Portal de Periódicos da Capes. Outros aplicativos destinados a bolsistas e à comunidade em geral estão em fase de desenvolvimento.

    Aqueles interessados em baixar o aplicativo Bolsista Capes poderão fazê-lo por meio da App Store (para iPhone ou iPad) ou do Google Play (para celulares e tablets Android).

    Assessoria de Comunicação Social, com informações da Capes

  • Um milhão de usuários baixaram o aplicativo do exame até agora


    Depois de liderar a lista de aplicativos de educação mais baixados nos últimos meses, o Enem 2016 atingiu o total de 1 milhão de usuários nesta quinta-feira, 13. O número de downloads deve aumentar na próxima semana, quando o aplicativo será uma das fontes de divulgação dos locais de prova.

    Gratuito, o aplicativo Enem 2016 foi pensado para ajudar os participantes do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que será realizado nos dias 5 e 6 de novembro. A ferramenta permite o acompanhamento de informações por meio dos smartphones e tablets que usam as plataformas Android, iOS e Windows Phone.

    Desenvolvido pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), autarquia do Ministério da Educação, o aplicativo facilita o contato com os participantes e auxilia na organização pessoal e no cumprimento de prazos. Antes do exame, fornece dados da situação da inscrição, cronograma, locais de provas e mesmo o cartão de confirmação. Após o exame, divulga o gabarito e, posteriormente, o resultado do Enem.

    Funcionalidades – A função Alerta permite ao usuário selecionar de quais informações deseja ser notificado quando houver atualizações dentro do cronograma. É possível também ir fazendo uma checagem das ações já concluídas durante as etapas do exame, facilitando o acompanhamento de pendências.

    No Mural de Avisos, o participante acessa comunicados oficiais enviados pelo Inep. Em casos de dúvidas, a sessão Perguntas Frequentes estará sempre disponível, bem como as informações sobre o cadastro.

    Segurança – Após a instalação do aplicativo, é necessário que o estudante insira o login e a senha cadastrados no sistema de inscrição do Enem. Para garantir a segurança na utilização, a recomendação é baixá-lo direto da loja de aplicativos do seu celular – Google Play (no Android), App Store (no iOS) e Windows Store (para Windows Phone) – e confirmar se o nome do desenvolvedor da ferramenta é o Inep.

    Assessoria de Comunicação Social do Inep

Fim do conteúdo da página