Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias > MEC cumpre metas e garante US$ 40 milhões de empréstimo do Bird para o Novo Ensino Médio
Início do conteúdo da página
  • Consulta sobre polos de inovação apresenta resultado preliminar

    Foi divulgado nesta quarta-feira, 4, o resultado preliminar da chamada pública para a implantação de polos de inovação nos institutos federais de educação, ciência e tecnologia. No total, 13 propostas foram recebidas e cinco foram selecionadas. O resultado pode ser conferido na página da Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii), organização social ligada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, parceira da Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (Setec) do Ministério da Educação na condução dessa ação. O resultado final será publicado até 19 de março.

    A implantação de polos de inovação tem o objetivo de promover o aumento da competitividade e da produtividade do parque industrial nacional pelo desenvolvimento da pesquisa aplicada. Foram selecionadas propostas dos institutos federais da Bahia, na área de equipamentos médicos; do Ceará, de sistemas embarcados e mobilidade digital; do Espírito Santo, de metalurgia; Fluminense, de monitoramento e instrumentação para o ambiente, e Minas Gerais, de sistemas automotivos inteligentes.

    Polos de inovação – Os polos serão unidades compostas por laboratórios de pesquisa aplicada, atuando em uma área de competência específica e serão implantados nos campi dos institutos federais selecionados. Alunos e professores do próprio instituto, profissionais das indústrias e pesquisadores do Brasil e até do exterior serão responsáveis pela execução dos projetos de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I).

    Para o secretário de Educação Profissional e Tecnológica, Marcelo Feres, trata-se de uma importante agenda do Governo Federal para o fomento à inovação e aprimoramento da indústria nacional. “Os polos vão atuar na captação de projetos de inovação, incremento tecnológico, desenvolvimento de projetos com potencial de mercado e na qualificação de recursos humanos para as indústrias e instituições de ciência e tecnologia. Tenho certeza que representarão um salto de qualidade no desenvolvimento de novos produtos e na oferta de mão de obra qualificada”, observa Marcelo Feres.

    O campus Formiga é a unidade do Instituto Federal de Minas Gerais (IFMG) que receberá o polo de inovação. Localizada no interior do estado, Formiga, sede do campus, fica distante cerca de 150 quilômetros da cidade de Betim, parque produtivo de uma importante multinacional do setor automobilístico que já possuí convênio com o IFMG.

    Responsável técnico pela proposta do IFMG, Washington Santos Silva, destaca as possibilidades que a implantação de um polo de inovação pode gerar para o desenvolvimento da região e da própria instituição. “Nossa perspectiva é atuar na captação de indústrias do setor automobilístico, de telefonia e agrícola; temos capacidade técnica e um corpo de pesquisadores qualificado. Vamos aproveitar a oportunidade até para repensar o nosso processo de ensino-aprendizagem”, disse.

    Assessoria de Comunicação Social

    Acesse o resultado da consulta pública na página da Embrapii

  • Encontro procura aprimorar a gestão dos polos de inovação

    A Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (Setec) promoveu, nos dias 7, 8 e 9 de novembro, o 2º Encontro dos Polos de Inovação Embrapii IF, com o tema Um Futuro Sustentável para os Polos de Inovação dos Institutos Federais. O evento teve por objetivos estimular o desenvolvimento da gestão dos polos, aumentar a visibilidade das ações junto aos gestores dos institutos federais onde estão instalados, e direcionar as ações para a sustentabilidade dos polos de inovação.

    A Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica conta com nove polos de inovação, voltados ao desenvolvimento de pesquisas avançadas para atender as demandas do setor produtivo, construindo uma ponte entre a academia e o mercado. No evento, estiveram presentes os diretores gerais e operacionais dos polos, que funcionam em um sistema de parceria entre a Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii), institutos federais e empresas demandantes.

    Rogério Atem de Carvalho, diretor do polo de inovação do Instituto Federal Fluminense, especializado em tecnologias para produção mais limpa, ressaltou a importância do evento para a troca de experiências em rede. “Precisamos ter mais iniciativas assim, evitar retrabalhos e discutir problemas e soluções em rede. Estamos fechando os três primeiros anos de operação, e dos cinco polos mais antigos, quatro já foram recredenciados. É importante apresentarmos o que funcionou ou não nesse tempo, tanto para os polos mais antigos quanto para os mais recentes, que têm apenas um ano.”

    Também participaram do evento os reitores e pró-reitores de pesquisa e extensão dos institutos federais que possuem polos, para que pudessem conhecer melhor tanto o trabalho do seu quanto dos demais. Para o reitor do Instituto Federal Goiano, Vicente Pereira de Almeida, que possui um polo desde 2017, é importante conhecer o que a gestão da instituição pode fazer para ajudar na consolidação e desenvolvimento. “Precisamos conhecer os pontos que devem ser trabalhados com mais intensidade, para atuarmos na institucionalização e consolidação do polo. Isso passa também pela articulação com o Estado e o Ministério da Educação, a fim de que possamos atingir as metas estabelecidas pela Embrapii.”

    O diretor de Desenvolvimento da Rede Federal da Setec, Paulo Henrique de Azevedo Leão, ressaltou que o objetivo do evento foi relembrar aos gestores dos polos sua importância para a sociedade, por meio da captação de projetos e desenvolvimento de produtos inovadores para o setor produtivo. “Por isso, eles não têm recurso de custeio específico”, explicou. “Relembramos que o polo não é um campus, ele é um centro de pesquisa criado para resolver problemas reais e aproximar o instituto federal do setor produtivo. Os polos novos, que estão com um ano de atividade, têm uma dificuldade maior, mas ao mesmo tempo trilham um caminho já estruturado pelos antigos, tendo uma aceleração muito mais rápida.”

    O evento contou com diversas oficinas voltadas para captação e vendas, além de estratégias para solução de problemas. No evento, os gestores também sugeriram a criação de um colegiado para coordenar as ações em rede e facilitar a troca de experiências entre os polos.

    Assessoria de Comunicação Social

  • Programas e ações

    Conheças algumas das iniciativas da Setec/MEC que marcam o processo de expansão e consolidação da Rede Federal

Fim do conteúdo da página