Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
  • Brasil sedia pela primeira vez olimpíada de ciências da terra

    O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas (IF Sul de Minas) é a sede, este ano, da nona edição da Olimpíada Internacional de Ciências da Terra [International Earth Science Olympiad (Ieso)], promovida pela Organização Internacional de Educação em Geociências [International Geoscience Education Organization (Igeo)]. Pela primeira vez, o evento, aberto na segunda-feira, 14, em Poços de Caldas, Minas Gerais, é organizado no Brasil.

    A solenidade de abertura contou com as delegações dos 23 países participantes da competição — Alemanha, Austrália, Áustria, Cazaquistão, Coreia do Sul, Espanha, Estados Unidos, França, Índia, Indonésia, Israel, Itália, Japão, Noruega, Paquistão, Portugal, Romênia, Rússia, Sri Lanka, Tailândia, Taiwan e Ucrânia, além do Brasil. África do Sul, Argentina, Bolívia, Irã e Malaui participam como observadores.

    O reitor do instituto, Marcelo Bregagnoli, ressaltou a importância do envolvimento de toda a instituição na realização da olimpíada. “Um evento dessa dimensão só ocorre quando as pessoas se envolvem efetivamente na sua organização, e o IF Sul de Minas tem se destacado nesse aspecto, pela capacidade de mobilização”, disse. “Esse evento consagra uma ação efetiva de inserção da instituição na sociedade.”

    O presidente da Igeo, Rajasekhariah Shankar, destacou que a Ieso não é apenas uma competição, mas a oportunidade de incrementar e popularizar os conhecimentos sobre as ciências da terra. “Estamos caminhando na direção correta”, disse. Ele sugeriu aos competidores que aprendam mais, façam amigos e se divirtam, pois são o futuro do planeta.

    Ao falar sobre a competição, o titular da Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (Setec) do Ministério da Educação, Marcelo Feres, enfatizou a importância das instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica. “A criação dos institutos federais e a expansão de matrículas em cursos técnicos mostram que estamos no caminho certo.”


    Competição — Até o dia 20 próximo, estudantes, professores e observadores estarão envolvidos em matérias como geologia, meteorologia, ciência ambiental e astronomia terrestre. O conhecimento nessas disciplinas será testado em provas teóricas e práticas.

    A programação do evento inclui ainda atividades científicas, troca de experiências e interação entre os participantes, apresentações culturais, visita a pontos turísticos da cidade mineira e viagens técnicas às unidades do IF Sul de Minas.

    Assessoria de Comunicação Social, com informações da Setec

     

    3º DESTAQUE

    Educação profissional

    Brasil sedia pela primeira vez
    olimpíada de ciências da terra

    Brasília, 15/9/2015 — O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas (IF Sul de Minas) é a sede, este ano, da nona edição da Olimpíada Internacional de Ciências da Terra [International Earth Science Olympiad (Ieso)], promovida pela Organização Internacional de Educação em Geociências [International Geoscience Education Organization (Igeo)]. Pela primeira vez, o evento, aberto na segunda-feira, 14, em Poços de Caldas, Minas Gerais, é organizado no Brasil.
    A solenidade de abertura contou com as delegações dos 23 países participantes da competição — Alemanha, Austrália, Áustria, Cazaquistão, Coreia do Sul, Espanha, Estados Unidos, França, Índia, Indonésia, Israel, Itália, Japão, Noruega, Paquistão, Portugal, Romênia, Rússia, Sri Lanka, Tailândia, Taiwan e Ucrânia, além do Brasil. África do Sul, Argentina, Bolívia, Irã e Malaui participam como observadores.
    O reitor do instituto, Marcelo Bregagnoli, ressaltou a importância do envolvimento de toda a instituição na realização da olimpíada. “Um evento dessa dimensão só ocorre quando as pessoas se envolvem efetivamente na sua organização, e o IF Sul de Minas tem se destacado nesse aspecto, pela capacidade de mobilização”, disse. “Esse evento consagra uma ação efetiva de inserção da instituição na sociedade.”
    O presidente da Igeo, Rajasekhariah Shankar, destacou que a Ieso não é apenas uma competição, mas a oportunidade de incrementar e popularizar os conhecimentos sobre as ciências da terra. “Estamos caminhando na direção correta”, disse. Ele sugeriu aos competidores que aprendam mais, façam amigos e se divirtam, pois são o futuro do planeta.
    Ao falar sobre a competição, o titular da Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (Setec) do Ministério da Educação, Marcelo Feres, enfatizou a importância das instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica. “A criação dos institutos federais e a expansão de matrículas em cursos técnicos mostram que estamos no caminho certo.”
    Competição — Até o dia 20 próximo, estudantes, professores e observadores estarão envolvidos em matérias como geologia, meteorologia, ciência ambiental e astronomia terrestre. O conhecimento nessas disciplinas será testado em provas teóricas e práticas.
    A programação do evento inclui ainda atividades científicas, troca de experiências e interação entre os participantes, apresentações culturais, visita a pontos turísticos da cidade mineira e viagens técnicas às unidades do IF Sul de Minas.

    Assessoria de Comunicação Social, com informações da Setec

    Palavras-chave: educação profissional, ciências da terra, olimpíada, Ieso

Fim do conteúdo da página