Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > Perguntas Frequentes > Prouni > ProUni: bolsa-permanência incentiva estudo
Início do conteúdo da página
Inclusão

Dia Nacional do Sistema Braille é comemorado em 8 de abril

  • Segunda-feira, 09 de abril de 2018, 17h28
  • Última atualização em Segunda-feira, 09 de abril de 2018, 17h28

O Dia Nacional do Sistema Braille celebra, em 8 de abril, o nascimento de José Alvares de Azevedo, primeiro professor cego do Brasil, que trouxe da França, ensinou e divulgou o sistema de leitura e escrita usado, atualmente, por milhões de pessoas cegas e com deficiência visual em todo o mundo. A data propõe uma reflexão sobre os desafios enfrentados pelas pessoas cegas e a importância de continuar a produzir obras em relevo, para proporcionar-lhes iguais oportunidades de ler e aprender. 

O Sistema Braille é considerado obra magistral do francês Louis Braille e sua versão mais conhecida data de 1837. Ou seja, esse sistema, que abriu as portas do conhecimento e da cultura para as pessoas com deficiência visual, já tem quase 200 anos.

“O Braille é um sistema de pontos em relevo, importantíssimo para a alfabetização de pessoas cegas e abre as portas para a comunicação escrita, a educação, o trabalho, a vida social e a cultura”, diz Patrícia Raposo, diretora de políticas de educação especial do Ministério da Educação.

O impacto da escrita e leitura para as pessoas cegas em todo o mundo alcança a maioria dos idiomas, as ciências exatas e naturais, a música, a informática acompanha a história das sociedades e seu desenvolvimento global e dinâmico. Daí a agregação da tecnologia para produzir textos em Braille com maior qualidade e quantidade.

O MEC, por meio da diretoria de políticas de educação especial da Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão (Secadi), desenvolve o programa Livro Acessível, que, em parceria com o Instituto Benjamin Constant, oferece livros didáticos e paradidáticos em Braille para alunos cegos e com deficiência visual matriculados na educação básica. Este programa faz parte do Plano Nacional do Livro Didático (PNLD), que tem o objetivo de oferecer, em Braille, os mesmos livros utilizados pelos demais alunos.

 A Comissão Brasileira do Braille (CBB) da Secadi acompanha e atualiza o uso e aplicação do Sistema Braille, utilizado no Brasil em todas as áreas do conhecimento. Em 2017, o MEC e a CBB publicaram a Grafia Química Braille para Uso no Brasil, que atenderá alunos e profissionais da educação básica e superior. Neste momento, a CBB realiza a complementação de estudos para a atualização de dois importantes referenciais nacionais para o uso e aplicação do Sistema Braille: Grafia Braille para a Língua Portuguesa e Normas Técnicas para produção de textos em Braille, publicados pela primeira vez em 2002.

Assessoria de Comunicação Social

Assunto(s): braille
X
Fim do conteúdo da página