Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias > CNE empossa novos integrantes e presidente, Luiz Roberto Liza Curi
Início do conteúdo da página
Brasil Alfabetizado

Novo ciclo vai atender quase dois milhões de pessoas

  • Segunda-feira, 30 de novembro de 2009, 10h53
  • Última atualização em Segunda-feira, 30 de novembro de 2009, 10h53
A Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade (Secad) do Ministério da Educação encerrou na sexta-feira, 27, em Brasília, a formação de 63 consultores para o ciclo do programa Brasil Alfabetizado a ser implementado no fim deste ano e em 2010. No novo ciclo, está previsto o atendimento a 945,8 mil alfabetizandos em áreas urbanas e a cerca de um milhão nas rurais.

Os consultores — profissionais com curso superior em diversas áreas do conhecimento e com experiência em planejamento e gestão educacional — prestarão assistência técnico-pedagógica a 1.928 municípios que registram índices de analfabetismo de jovens e adultos iguais ou superiores a 25% da população. Esses municípios estão nas regiões Norte e Nordeste e em parte do Sudeste.

A tarefa dos consultores será a de auxiliar os municípios na elaboração dos planos de alfabetização e na definição de estratégias de mobilização para a matrícula de jovens e adultos. Os profissionais participarão ainda da elaboração e da execução do Plano Plurianual de Alfabetização (PPAlfa), pré-requisito para participação no Brasil Alfabetizado.

“Os municípios precisam ganhar capacidade de gestão para desenvolver a política de educação de jovens e adultos por conta própria e garantir a alfabetização e a elevação da escolaridade”, explica o diretor de políticas de educação de jovens e adultos do MEC, Jorge Teles.

As unidades da Federação e municípios participantes do programa recebem recursos financeiros suplementares para custeio de atividades como formação inicial e continuada de alfabetizadores e coordenadores de turmas; aquisição de material escolar, pedagógico, didático ou literário; compra de gêneros alimentícios e transporte dos alfabetizandos. Alfabetizadores, tradutores-intérpretes da linguagem brasileira de sinais (Libras) e coordenadores de turmas recebem bolsas-benefício pagas diretamente pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).

Agenda — Além do apoio técnico aos municípios, o MEC implementa, desde 2008, a Agenda Territorial de Educação de Jovens e Adultos, criada para fortalecer a política dessa modalidade de ensino nas redes estaduais e municipais de educação. De 10 a 12 de dezembro, a Secad promoverá, em Brasília, a segunda oficina nacional da agenda. O objetivo é discutir estratégias e ações e ampliar a parceria entre governos e sociedade civil organizada. O encontro vai reunir representantes das comissões estaduais e da comissão nacional de alfabetização e educação de jovens e adultos; do Conselho Nacional dos Secretários de Educação (Consed) e da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime).

Juliana Meneses
X
Fim do conteúdo da página