Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias > Participantes podem consultar os resultados individuais; nota em matemática é destaque
Início do conteúdo da página
Educação especial

Participação de deficientes visuais na Olimpíada de Matemática cresce 2.700%

  • Sexta-feira, 21 de julho de 2006, 08h44
  • Última atualização em Quarta-feira, 16 de maio de 2007, 12h30

O número de deficientes visuais inscritos na 2ª Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep) cresceu 2.700% em relação ao ano passado, quando 338 alunos com essa deficiência se inscreveram na competição. Este ano, participarão do concurso aproximadamente 9.200 estudantes com deficiência visual parcial ou total.

Segundo a coordenadora-geral da Olimpíada, Mônica Souza, o crescimento de alunos com deficiência visual é decorrente do interesse das escolas em inscrever mais candidatos e da vitória do estudante Paulo Santos Ramos, de 16 anos, que ganhou medalha de ouro no ano passado. Paulo tem artrite reumatóide – não enxerga, quase não ouve, usa cadeira de rodas e tem os movimentos comprometidos – e participou da olimpíada com outros 220 alunos da Escola Classe 405 Sul, de Brasília, sendo o único vencedor do grupo.

A escolha dos melhores alunos será feita em duas fases: a primeira prova no dia 29 de agosto e a segunda no dia 18 de novembro. De acordo com Mônica Souza, a inscrição na primeira fase do concurso considera apenas os que têm deficiência visual, já que eles precisam de provas em braille, com texto ampliado ou com explicações para o aluno por meio de um intérprete. “Os alunos com outros tipos de deficiência fazem a prova da primeira fase na própria escola, como os outros estudantes”, disse. No entanto, Mônica explica que na segunda fase, onde participam 5% do total de inscritos, há necessidade de contabilizar todos os que têm deficiência, já que a prova é realizada fora da escola. “Temos que considerar o ambiente em que um aluno cadeirante (que usa cadeira de rodas), por exemplo, fará a prova”, explica.

Prêmios - A premiação da Olimpíada Brasileira de Matemática é dividida entre alunos, professores, escolas e municípios. No total, participarão 14 milhões de alunos de 32.603 escolas públicas de ensino fundamental e médio. Para os estudantes, serão distribuídas medalhas e 2.001 bolsas de iniciação científica júnior do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Os cem professores com alunos mais bem classificados ganharão um curso de aperfeiçoamento no Instituto de Matemática Pura e Aplicada (Impa). Além disso, cem escolas receberão laboratórios de informática e cinco municípios (um de cada região do país) receberão quadras de esportes. Em março de 2007, serão divulgados os nomes dos vencedores.

A competição tem como objetivo estimular o estudo da matemática no ensino médio e fundamental e criar novos vínculos entre o aluno e a escola. Além disso, os alunos desenvolvem sua auto-estima quando se destacam entre milhares de outros estudantes. A Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas é organizada pelo Impa, Sociedade Brasileira de Matemática e ministérios da Educação e da Ciência e Tecnologia.

Flavia Nery

Assunto(s): mec , notícias , jonalismo , matérias
X
Fim do conteúdo da página