Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias > Professores aprendem mais para evoluir no ensino de matemática
Início do conteúdo da página
Educação tecnológica

Rede Federal é destaque na Olimpíada de Matemática

  • Terça-feira, 15 de dezembro de 2009, 17h59
  • Última atualização em Terça-feira, 15 de dezembro de 2009, 17h59
A Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica se destacou na Olimpíada Brasileira de Matemática nas Escolas Públicas (Obmep). Entre os premiados com medalha de ouro do ensino médio, 22 são estudantes da rede, que também obteve outras dezenas de premiados com medalhas de prata e bronze.

No Rio Grande do Norte, por exemplo, o instituto federal obteve o melhor resultado entre as escolas públicas potiguares, ficando com 27 das 33 conquistadas pelo estado - três de ouro, cinco de prata e 19 de bronze. O resultado foi recebido com alegria pelos servidores da instituição. “É muito gratificante para a gente ver o desenvolvimento desses jovens e o potencial que eles têm de um futuro brilhante”, comemorou o reitor Belchior de Oliveira Rocha.

Responsável pela preparação dos alunos do Campus Natal-Central, o professor de matemática Antônio Roberto da Silva, se impressionou com o resultado. “Isto significa que nossos alunos estão entre os 400 melhores estudantes de escolas públicas do país”, disse. A surpresa do professor se justifica levando-se em consideração o número de participantes da olimpíada. Foram 19,2 milhões de estudantes da quinta à oitava série (sexto ao nono ano) do ensino fundamental e das três séries do ensino médio. Eles representaram 43,8 mil escolas de 99,1% dos municípios brasileiros.

Prêmio - Os vencedores da olimpíada receberão a premiação em cerimônia prevista para março do próximo ano. A quinta edição da Obmep vai premiar 300 estudantes com medalhas de ouro, 900 com prata e 1,8 mil com bronze. Para o professor Roberto, no entanto, a maior gratificação é prever o futuro de seus estudantes. “O que mais arrepia é descobrir a origem humilde destes jovens com futuro brilhante. É por este e por outros motivos que, em sala de aula, muitas vezes me sinto um estudante”, conclui o professor.

Os três mil medalhistas serão convidados a participar do programa de iniciação científica da olimpíada, com direito à bolsa de iniciação científica júnior do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Os professores dos estudantes vencedores, as escolas em que estes estudam e as secretarias de educação também receberão prêmios. Coleções de livros e vídeos, conjuntos de material esportivo e troféus estão entre os materiais.

Assessoria de Imprensa da Setec
X
Fim do conteúdo da página