Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias > Proposta para educação infantil na Base defende brincadeiras para aprendizagem
Início do conteúdo da página
Educação profissional

Clima de emoção marca abertura da Olimpíada do Conhecimento

  • Segunda-feira, 01 de setembro de 2014, 16h13
  • Última atualização em Segunda-feira, 01 de setembro de 2014, 16h13

Mais de 800 competidores, entre os quais 50 de institutos federais de vários estados, estão em Belo Horizonte para participar da Olimpíada (Foto: Kely Aguiar/Divulgação) Centenas de jovens com olhar de emoção e ansiedade lotaram a Arena Vivo, no Minas Tênis Clube, em Belo Horizonte, neste domingo, 31, para participar da solenidade de abertura da oitava edição da Olimpíada do Conhecimento. A novidade nesta edição ficou por conta da estreia da Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica. Pela primeira vez, cerca de 50 competidores dos institutos federais dos estados de Rondônia, Rio Grande do Norte, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Tocantins, Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Goiás participarão da Olimpíada do Conhecimento.

As competições, que acontecerão entre os dias 3 e 6 de setembro em um espaço de 105 mil metros quadrados no Expominas, também na capital mineira, atraíram mais de 800 competidores vindos dos 26 estados e do Distrito Federal para participar de competições em 58 ocupações técnicas ligadas à indústria, ao setor de serviços e à agropecuária. Os competidores dos institutos federais, Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) têm até 21 anos e vão realizar atividades semelhantes às funções que desempenhariam em situações reais no mercado de trabalho.

Na avaliação do secretário da Educação Profissional e Tecnológica (Setec) do Ministério da Educação, Aléssio Trindade de Barros, a participação dos institutos federais é muito importante. Para ele, a Olimpíada do Conhecimento motiva alunos e professores, envolve a escola nesse processo de intercâmbio de experiências e conhecimento e prepara os competidores para o grande evento do gênero a nível internacional: a WorldSkills Competition, que no próximo ano acontecerá no Brasil, em São Paulo.

Aléssio Trindade parabenizou os alunos e professores que se dedicaram para participar da Olimpíada do Conhecimento. “Antes mesmo de a competição começar, posso afirmar que todos são vencedores porque já se tornaram uma referência positiva para suas escolas”, disse. “A nossa expectativa é ampliar a participação em número de alunos e de áreas do conhecimento nas próximas edições da olimpíada.”

Divulgação – Os quatro dias de provas no Expominas serão abertos à visitação a fim de incentivar a busca por informações sobre o ensino técnico. São esperados 300 mil visitantes, que poderão ver 900 toneladas de equipamentos, incluindo seis estações geodésicas, duas turbinas de avião e um helicóptero sendo operados pelos competidores durante a Olimpíada do Conhecimento. Uma série de atividades especiais também está programada com o objetivo de revelar para o público o quanto a união entre educação e tecnologia pode tornar a indústria mais competitiva.

O evento estabelece um padrão de excelência das práticas das ocupações ao mesmo tempo em que avalia a formação técnica oferecida pelas instituições. Os resultados apontam o nível de conhecimento dos técnicos a respeito das novas tendências tecnológicas utilizadas pelo setor produtivo e possibilitam mudanças nos perfis profissionais, além de orientar a atualização dos currículos nas escolas.

Dedicação – Podem participar da disputa estudantes com menos de 21 anos de idade e um mínimo de 400 horas em cursos de aprendizagem ou qualificação industrial, ou ainda formação técnica de nível médio na área. A Olimpíada do Conhecimento se inicia nas escolas, no momento em que os docentes identificam os alunos de destaque e os convidam para treinar em torneios locais. A etapa estadual é a fase classificatória para a nacional.

Uma dedicação de oito horas diárias ao longo de meses por parte dos estudantes é necessária para que os competidores possam alcançar bons resultados. O esforço vale a pena. O mais bem colocado em cada uma das modalidades da fase nacional deste ano concorre a uma vaga para a competição mundial, a WorldSkills Competition, em 2015.

Desde 2001, a olimpíada nacional acontece a cada dois anos e avalia os conhecimentos e habilidades técnicas dos competidores com base em padrões internacionais de excelência. Critérios de segurança no trabalho são levados em conta. A competição deste ano vai avaliar 58 ocupações e, desse total, 48 são da indústria, sete do setor de serviços e três da agropecuária.

Assessoria de Comunicação Social

X
Fim do conteúdo da página