Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias > Chamada pública tem divulgação de resultado adiada para outubro
Início do conteúdo da página
Direito à educação

Brasil ganha destaque pela acolhida a crianças refugiadas

  • Quinta-feira, 24 de setembro de 2015, 16h53
  • Última atualização em Segunda-feira, 28 de setembro de 2015, 15h01

Genebra (Suíça), 24/9/2015 — O Brasil recebeu elogios da Organização das Nações Unidas (ONU) pelo trabalho realizado no acolhimento a crianças refugiadas em escolas públicas brasileiras. Os delegados destacaram a atuação do país ao receber refugiados de regiões distantes, como é o caso da Síria, país da Ásia ocidental.

Durante sabatina na ONU, em Genebra, Alexey Dodsworth, assessor especial do ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, disse que o Brasil recebeu, nos últimos anos, refugiados sírios em número maior do que os oriundos de outros países. O Brasil conta hoje com mais de dois mil sírios. “Eles se unem a nós como cidadãos que estimulam o crescimento de nossa nação multiétnica e multicultural”, disse Dodsworth. “Suas crianças são nossas crianças e têm, sim, direito à matrícula em nossas escolas públicas”, lembrou.

A sabatina foi realizada na segunda-feira, 21, e na terça, 22. A delegação brasileira, composta por representantes dos ministérios da Educação, da Saúde, do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, da Justiça e da Secretaria dos Direitos Humanos da Presidência da República, foi enviada a Genebra para participar da 70ª sessão dos Direitos da Criança da ONU. O último encontro foi realizado em 2004.

Os representantes brasileiros responderam a diversas questões relativas aos direitos da criança e do adolescente. Eles explicaram a situação do país e apontaram caminhos e esforços para que ela melhore. “Vocês têm muitos desafios pela frente, terão que vencer muitos problemas, mas são nossa esperança”, disse a equatoriana Sara Oviedo, vice-presidente do Comitê dos Direitos da Criança das Nações Unidas.

Agora, a ONU vai publicar recomendações para o Brasil. Com base nelas, o país definirá ações e estratégias para melhorar a qualidade da educação oferecida a crianças e adolescentes.

Assessoria de Comunicação Social

X
Fim do conteúdo da página