Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
Magistério

Atividade é árdua, mas bela, afirma professor capixaba

  • Domingo, 25 de outubro de 2015, 18h11
  • Última atualização em Domingo, 25 de outubro de 2015, 18h11

Professor há 36 anos, o capixaba Pedro Antonio Galli diz que o magistério é uma das atividades mais apaixonantes e gratificantes que existem. “Árdua, sem dúvida, mas indiscutivelmente bela”, ressalta Galli, que dá aulas de artes, matemática e estatística a estudantes do ensino médio na Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Eurico Salles, em Itaguaçu (ES).

“Ser professor é um papel insubstituível no processo da transformação social. Além de ensinar, é saber viver, conviver, respeitar o próximo e aprender com ele”, analisa Galli. Ele explica que sua relação com o magistério começou cedo, pois suas irmãs eram professoras. “Para minha família, ser professor, mais do que uma tradição, é uma vocação.”

Contemplado quatro vezes com o Prêmio Sedu: Boas Práticas na Educação, iniciativa da Secretaria de Educação do Estado do Espírito Santo para valorizar os profissionais da educação pública estadual, Galli diz que procura desenvolver metodologias que despertem o interesse dos estudantes. “Busco sempre adequá-las para tornar a aprendizagem significante e satisfatória, melhorando minha prática, oferecendo o que há de melhor aos meus alunos para formar cidadãos mais conscientes na comunidade na qual estão inseridos.”

Em seu trabalho, o professor desenvolve projetos que agreguem várias disciplinas. “Amplio minha visão de conteúdo para além dos conceitos, inserindo procedimentos, atitudes, valores e recursos didáticos que visem a desenvolver a ligação dos conceitos teóricos com a realidade vivenciada no dia a dia, constituindo fator de motivação e de facilidade de assimilação”, ressalta.

Com licenciatura em matemática e ciências e vários cursos de especialização, Galli leciona na mesma instituição desde 1982. “Fui professor de 75% dos professores que trabalham atualmente na escola Eurico Salles”, revela. “Procuro interagir com os colegas de profissão, com uma atitude mais atenta e receptiva, de forma a trocar informações e experiências para enriquecer as aulas.”

Para os novos professores, Galli tem um recado: “A tarefa de ensinar é difícil, porém gratificante, e exige muitas leituras”. Além disso, enfatiza, é preciso quebrar uma série de paradigmas, pois a docência vai além de somente dar aulas. “Ela oferece oportunidades aos alunos para construir e reconstruir conhecimentos.”

Fátima Schenini

Conheça o Prêmio Sedu: Boas Práticas na Educação

 

X
Fim do conteúdo da página