Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias > Português tem apenas 1,6% de aprendizagem adequada no Saeb
Início do conteúdo da página
Educação básica

Niterói ganha unidade do Colégio Pedro II

  • Terça-feira, 16 de maio de 2006, 13h32
  • Última atualização em Quarta-feira, 23 de maio de 2007, 08h58

O Colégio Pedro II, do Rio de Janeiro, ganha mais uma unidade descentralizada, que será inaugurada pelo ministro da Educação, Fernando Haddad, no próximo dia 24, às 10h, em Barreto, bairro da Zona Norte de Niterói. A unidade terá 630 alunos de ensino médio – 210 este ano. As aulas da primeira turma já começaram. O Colégio Pedro II é mantido pelo MEC.

Segundo o prefeito de Niterói, Godofredo Pinto, trata-se de um avanço significativo para a educação pública no município. “O Pedro II é uma instituição referencial e secular. Trabalhamos na expansão das matrículas do ensino médio”, disse. Já o diretor-geral do Colégio Pedro II, Wilson Choeri, explica que a unidade de Niterói terá didática e pedagogia idênticas às das outras unidades, mas respeitará características socioculturais do município.

Esta será a 11ª unidade do Colégio Pedro II no estado do Rio de Janeiro – as outras ficam nos bairros de São Cristóvão I, II e III, Centro, Humaitá, Engenho Novo I e II, Tijuca I e II e Realengo, todas na capital. A direção-geral da escola é em São Cristóvão. “A carência dos municípios está no ensino médio. Por isso, adotamos a proposta pedagógica do Pedro II, referência de escola pública”, afirmou Oscar Hallac, diretor da nova unidade.

Fellipe Calleia dos Santos, 15 anos, foi o primeiro colocado no concurso para estudar no Pedro II de Niterói. Ele fez o ensino fundamental na Escola Municipal Altivo César, em Barreto, e quer seguir carreira no setor de informática. “Espero que a chance de fazer o ensino médio nesta escola tradicional abra chances em minha vida”, disse. Fellipe diz que não poderia estudar em uma das unidades do colégio na cidade do Rio de Janeiro, em função da distância.

Histórico – Em 1837, o ministro do Império, Bernardo Pereira de Vasconcelos, apresentou ao regente Pedro de Araújo Lima proposta para a organização do primeiro colégio secundário oficial do Brasil. Ele acreditava que a instrução pública seria melhor do que a particular, oferecida em salas precárias e por professores mal preparados.

O colégio, cuja primeira sede foi a da Avenida Marechal Floriano, no centro do Rio, originou-se do Seminário dos Órfãos de São Pedro, criado em 1739, por frei de Guadalupe. Teve diversos nomes, como Seminário de São Joaquim e Imperial de São Joaquim, até receber a denominação de Colégio Pedro II. Foi inaugurado em 25 de março de 1838. O salão nobre, inaugurado em 1875, sedia solenidades de entrega de diplomas de bacharéis em letras, de doutores em medicina e das turmas de graduados do colégio.

O último ato público de Dom Pedro II, em 14 de novembro de 1889, ocorreu no colégio, quando o imperador presidiu concurso para professores de inglês. Nos primeiros tempos republicanos, o colégio passou a se chamar Ginásio Nacional, mas depois retomou o nome atual. Mais informações pelos telefones (21) 2719-6763, 2719-6748 e 2891-1009. Fax: 2717-7619, 882-6883 e e-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo..

Súsan Faria, com informações da Assessoria de Comunicação Social da Secretaria de Educação de Niterói

Assunto(s): mec , notícias , jonalismo , matérias
X
Fim do conteúdo da página