Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias > Universidades federais investem em projetos inovadores
Início do conteúdo da página
Educação básica

Comissão define a coleção Grandes Educadores

  • Quinta-feira, 13 de julho de 2006, 15h04
  • Última atualização em Sexta-feira, 10 de dezembro de 2010, 10h41

Divulgação/ Anísio TeixeiraAnísio Teixeira, Paulo Freire, Nízia Floresta e Gustavo Capanema serão indicados, com outros 20 mestres brasileiros, para integrar a coleção Grandes Educadores, a ser publicada pelo Ministério da Educação. A comissão técnica designada em maio pelo ministro da Educação, Fernando Haddad, para fazer a seleção já escolheu os nomes e encerra seu trabalho no próximo dia 3 de agosto.

A coleção, que terá 20 volumes, vai apresentar cada um dos 24 autores, a obra que produziu, a importância desta obra na educação brasileira e incluir um texto exemplar do autor que seja atual. O objetivo da iniciativa do MEC, diz o presidente da comissão técnica, Carlos Alberto Xavier, é incentivar a leitura, a pesquisa e a busca do conhecimento a partir da história de homens e mulheres que contribuíram para o desenvolvimento humano.

A comissão usou como critérios para a seleção dos nomes: ser brasileiro, pensador e estar entre os autores mortos, e decidiu que os autores devem representar diferentes setores da educação brasileira, tais como educação especial, rural, científica, superior, popular, tecnológica, agrícola.

Além de escolher os educadores, a comissão fará indicações ao ministro Haddad, entre elas, a continuidade da série com novos nomes; a publicação de uma coleção com 28 pensadores estrangeiros selecionados da série Penseurs de L’Education, publicada pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco); e a distribuição das obras a todos os professores da educação básica das redes públicas.

Educadores – Entre os 24 nomes de mestres brasileiros indicados pela comissão estão Anísio Teixeira, Paulo Freire, Florestan Fernandes, Darcy Ribeiro, Lourenço Filho, Helena Antipoff, Fernando de Azevedo, Pascoal Leme, Dumerval Mendes, Cecília Meireles, Aparecida Joly Gouveia, Rui Barbosa, padre Manoel da Nóbrega, Edgar Roquete Pinto, Gustavo Capanema. Entre os autores estrangeiros que exerceram influência sobre educadores brasileiros e que integram a série da Unesco, a comissão destacou Andrés Belo (Argentina), Éluard Claparède (França), John Dewey (EUA), Sigmund Freud (Áustria), Antonio Gramsci (Itália), Ivan Illich (Chile), Anton Makarenko (Rússia), Maria Montessori (Alemanha), José Martí (Cuba), Jean Piaget (Suíça), José Ortega y Gasset (Espanha), Johann Pestalozzi (França), Carl Rogers e B.F. Skinner (EUA), Jean-Jacques Rosseau (França), Lev Vygotsky (Iugoslávia), José Pedro Varela (Uruguai) e José Vasconcelos (México).

Comissão – A comissão técnica é composta por Carlos Alberto Xavier (gabinete do ministro), Lúcia Lodi e Jane Cristina da Silva (Secretaria de Educação Básica), Carmen Lúcia Bueno Valle (Conselho Nacional dos Secretários de Educação – Consed), Justina Iva de Araújo Silva (União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação – Undime), José Carlos Dias de Freitas (FNDE), Maria de Lourdes Fávero (Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação), Ataíde Alves (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira – Inep), Célio Cunha (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura – Unesco) e Antônio Carlos Ronca (Conselho Nacional de Educação – CNE).

Repórter: Ionice Lorenzoni

Assunto(s): mec , notícias , jonalismo , matérias
X
Fim do conteúdo da página