Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias > No Brasil, mulheres são maioria nos cursos de pós-graduação
Início do conteúdo da página
Educação básica

MEC incentiva escolas a melhorar índice de alfabetização

  • Quinta-feira, 19 de abril de 2007, 07h10
  • Última atualização em Sexta-feira, 15 de junho de 2007, 05h41

Gargalo da alfabetização, o aprendizado da leitura e da escrita das crianças, agora poderá ser avaliado por cada escola da rede pública, pelos sistemas municipais de ensino e pela comunidade escolar. Para motivar e auxiliar os agentes públicos e a comunidade nessa tarefa, o Ministério da Educação lança nesta quinta-feira, 19, o documento Indicadores da Qualidade da Educação: dimensão ensino e aprendizagem da leitura e da escrita.

De acordo com o coordenador-geral de Articulação Institucional da Secretaria de Educação Básica (SEB), Arlindo Queiroz, a publicação, através de um roteiro de perguntas, vai ajudar professores e dirigentes escolares a identificar as dificuldades dos alunos para aprender a ler e a escrever. A primeira pergunta que a escola terá que responder é se ela tem proposta pedagógica escrita sobre a aprendizagem esperada em cada série/ano, as atividades a serem realizadas durante as aulas e as estratégias de avaliação. Pela resposta, diz Queiroz, a escola já pode identificar se começa ali o problema do baixo índice de alfabetização. Nas cerca de 40 perguntas, a escola terá que responder se os alunos participam de atividades semanais de leitura e escrita, se os professores orientam os pais sobre como eles podem ajudar as crianças nas tarefas de casa, se a escola valoriza os textos produzidos pelos alunos.

Avaliação — A orientação da Secretaria de Educação Básica é que os sistemas de ensino façam avaliação da alfabetização das escolas da sua rede e que as escolas também se auto-avaliem. A publicação Indicadores da Qualidade da Educação nas dimensões leitura e escrita, elaborada pela Ação Educativa, ONG de São Paulo, sugere aos diretores, professores e pais o uso das cores verde, amarela e vermelha nas respostas. O uso de códigos em cores, explica Queiroz, visa, ao final do questionário, dar um panorama do que está bem, o que está médio e o que precisa de intervenção imediata para corrigir problemas. Com o diagnóstico pronto, o conselho escolar, a secretaria municipal de educação, a escola e a comunidade vão propor formas de superar os entraves que impossibilitam a alfabetização dos alunos.

Além da escola, os conteúdos de Indicadores da Qualidade da Educação também será usado nos cursos de formação da Escola de Gestores, encontros de capacitação dos conselhos municipais de educação e de formação dos conselhos escolares. O documento está disponível para cópia na página eletrônica da SEB. Em maio, a Secretaria enviará dez mil exemplares do documento aos sistemas municipais de ensino e aos conselhos escolares. A publicação Indicadores é uma iniciativa do MEC em parceria com o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), Ação Educativa, universidades públicas e ONGs.

Ionice Lorenzoni

Assunto(s): mec , notícias , jonalismo , matérias
X
Fim do conteúdo da página