Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias > Inep realiza audiência pública sobre sistema de avaliação
Início do conteúdo da página
Institutos federais

Alunos matogrossenses aprendem a usar calculadora científica

  • Sexta-feira, 23 de abril de 2010, 16h38
  • Última atualização em Sexta-feira, 23 de abril de 2010, 16h38
Cuiabá – Mais de 90 alunos do Campus Juína do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso participaram neste mês de abril de um curso sobre como utilizar calculadora científica, ministrado pelo professor de matemática Sérgio Cândido de Gouveia Neto. Participaram estudantes do instituto distribuídos em três turmas. A próxima está prevista para a próxima segunda-feira, 26, e possivelmente mais uma turma ocorrerá em maio.

O curso tem como objetivo ensinar noções básicas da calculadora científica e aplicações em diversas áreas da matemática, como: radiciação, potenciação, frações, trigonometria, logaritmos, notação científica, conversão de ângulos e de coordenadas polares entre outros tópicos. De acordo com o professor Sérgio Gouveia, o aluno descobre as funções da calculadora no decorrer dos exercícios. “É um curso prático, os alunos não escrevem, apenas executam as operações na calculadora.”

Para o professor, a calculadora científica é uma tecnologia que deve ser utilizada em sala de aula. “Alguns professores de matemática são contra o uso de calculadora na sala de aula”, lembra ele. “Como estamos em um instituto federal de educação, ciência e tecnologia, a calculadora é uma tecnologia e está aí para ser usada. Eu não vou privar o meu aluno de usar uma calculadora. Obviamente, existem atividades em que você não vai utilizá-la, como expressões algébricas, por exemplo”, diz Gouveia.

O professor salienta que a calculadora é uma ferramenta para facilitar a vida do aluno, simplifica os cálculos, sendo necessário privilegiar o raciocínio. “O curioso é que, terminado o curso, os alunos continuaram a operar a calculadora nos corredores da instituição, mostrando para os colegas a execução de determinadas funções”, finaliza Sergio Gouveia.

Assessoria de imprensa do Instituto Federal de Mato Grosso
Assunto(s): Institutos federais
X
Fim do conteúdo da página