Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias > Computador ajuda a qualificar operários
Início do conteúdo da página
Educação superior

Universidade do Grande ABC deve começar com cinco cursos

  • Sexta-feira, 10 de junho de 2005, 15h40
  • Última atualização em Sexta-feira, 11 de maio de 2007, 11h03

O ministro da Educação, Tarso Genro, recebe na próxima quinta-feira, 16, o projeto acadêmico da futura Universidade Federal do Grande ABC (UFABC) que será construída em Santo André, São Paulo. Para a instituição se tornar realidade é preciso que o Senado aprove o Projeto de Lei nº 20/2005, que está na Comissão de Constituição e Justiça. A Câmara dos Deputados aprovou, em 22 de março deste ano, o projeto enviado pelo presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, em 12 de julho de 2004.

O Ministério da Educação prepara o início das atividades da UFABC para o primeiro semestre de 2006. Deve começar com os cursos de licenciatura em física, química, biologia e matemática, em salas de 30 alunos, e um curso de ciências da computação com 50 vagas, nos turnos diurno e noturno. As engenharias estão previstas para ser oferecidas no segundo semestre de 2006. O projeto pedagógico da nova universidade se insere na proposta de reforma da educação superior, que prevê, entre outros pontos, a criação de um ciclo básico de dois anos que antecede a profissionalização do aluno, suporte ao estudante, oferta de educação presencial e a distância.

A localização da UFABC também já está definida. Um protocolo assinado entre o MEC e a prefeitura de Santo André prevê a doação, pela prefeitura, de um terreno de 70 mil metros quadrados localizado entre a Avenida dos Estados e as ruas Santa Adélia e da Abolição. A oficialização da doação do terreno tramita na Câmara Municipal de Vereadores.

Missão – A Universidade Federal do ABC nasce com a missão de formar profissionais de elevada qualificação em áreas estratégicas para o desenvolvimento nacional. Para executar essa tarefa, o projeto de criação prevê a contratação de 600 professores e 1.000 monitores bolsistas nos programas de pós-graduação. Quando em pleno funcionamento, a instituição vai atender 20 mil alunos em cursos de graduação, 2.500 em mestrado e 1.000 em programas de doutorado.

O núcleo fundamental da constituição acadêmica se assenta nas ciências naturais, na matemática e na tecnologia. As humanidades e as ciências complementam o projeto. Dessa forma, ao mesmo tempo que assume compromisso com o avanço da pesquisa e do conhecimento, a Universidade do ABC estará comprometida com a formação de indivíduos capazes de compreender a sociedade em que vivem, respeitar os princípios éticos e contribuir para a solução dos problemas sociais do país.

Mobilidade – Outra característica da nova universidade será a mobilidade dos estudantes. O intercâmbio dos alunos da UFABC com os de outras instituições de elevado nível acadêmico será estimulado desde o começo. Por exemplo: o ciclo básico, que deverá ser de três anos nas engenharias e nas ciências sociais, vai permitir aos alunos fazer a parte profissional, de dois anos, em outra universidade ou concluir o básico e partir para o mercado de trabalho.

Centros – A proposta de estrutura acadêmica da UFABC compreende três centros. O Centro de Ciências Naturais e Humanas deve reunir pesquisa e ensino em física, química e biologia, formando bacharéis e licenciados; o Centro de Matemática, Computação e Cognição Humana vai formar bacharéis e licenciados em pesquisa e ensino nas três áreas; e o Centro de Engenharia, Modelagem e Ciências Sociais Aplicadas, destinado à formação profissional nas engenharias de produtos, de instrumentação, ambiental, urbana, de sistemas, de energia, biomédica, gestão organizacional e de telecomunicações e teleprocessamentos.

Além dessa estrutura, a UFABC contará com cinco núcleos destinados a projetos em parceria com outros centros, atividades curriculares e extracurriculares e de apoio aos alunos: núcleo de criatividade, inovação e experimentação; núcleo de assistência ao estudante: acesso e permanência; núcleo de educação continuada; núcleo de estudos avançados; núcleo de informação e biblioteca.

Repórter: Ionice Lorenzoni

Assunto(s): mec , notícias , jonalismo , matérias
X
Fim do conteúdo da página