Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias > Especialistas indicam formas de combate a atos de intimidação
Início do conteúdo da página
Educação superior

Conexão de Saberes e Escola Aberta fazem parceria

  • Quinta-feira, 22 de junho de 2006, 07h36
  • Última atualização em Quinta-feira, 17 de maio de 2007, 09h51

A partir de julho, as 13 universidades federais que participam do projeto Conexão de Saberes começam a ter atividade direta no programa Escola Aberta. A parceria será executada por 629 bolsistas que estão sendo selecionados e capacitados pelas instituições neste mês. Com bolsas mensais de R$ 300,00, os novos alunos vão trabalhar oito horas nos finais de semana, durante sete meses, em 1.258 estabelecimentos públicos que participam do programa Escola Aberta no Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais, Bahia, Distrito Federal, Pernambuco, Rio Grande do Sul, Roraima e Mato Grosso do Sul. Eles vão dirigir oficinas para professores, alunos, servidores e comunidade sobre os temas direitos humanos e leitura.

A capacitação dos alunos é feita pelas universidades a partir de uma série de documentos, entre eles, os cadernos Sair do Papel, Geração da Paz e Em um Mundo sem Conflitos e Violência que integram a coleção Educação para a Paz produzida pela parceria governo federal, Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) e o Conselho Nacional das Igrejas Cristãs do Brasil (Conic).

E, para desenvolver o gosto pela leitura, foram selecionados materiais produzidos pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE/MEC) aprovados pela Comissão Nacional de Leituração. A atividade dos bolsistas nas escolas será promover a interação entre o saber científico produzido na universidade e o saber popular vivenciado pelas comunidades.

Conexão – O projeto Conexão de Saberes é dirigido a estudantes de graduação de baixa renda, moradores ou oriundos de favelas e de comunidades das periferias. É desenvolvido pela Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade (Secad/MEC) e por 13 universidades federais, em parceria com a organização não-governamental Observatório das Favelas do Rio de Janeiro.

A bolsa está vinculada à pesquisa e permanência do aluno na instituição até completar o curso. Na primeira etapa do projeto, as universidades selecionaram 800 estudantes. Agora ingressam mais 629. Participam do projeto as universidades federais do Espírito Santo (Ufes), Minas Gerais (UFMG), Bahia (UFBA), Distrito Federal (UnB), Rio Grande do Sul (UFRGS), Roraima (UFRR), Mato Grosso do Sul (UFMS), Pernambuco (UFPE e UFRPE) e Rio de Janeiro (UFRJ, UFF, UFRRJ e UniRio).

Ionice Lorenzoni

Assunto(s): mec , notícias , jonalismo , matérias
X
Fim do conteúdo da página