Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias > Dia Mundial da Alfabetização é comemorado nesta sexta-feira, 8
Início do conteúdo da página
Ações internacionais

Ação conjunta entre Brasil e Portugal prevê instituto para difundir o idioma

  • Quinta-feira, 13 de outubro de 2005, 14h53
  • Última atualização em Terça-feira, 15 de maio de 2007, 09h45

O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, e o primeiro-ministro de Portugal, José Sócrates, divulgaram na quinta-feira, dia 13, na cidade do Porto, declaração conjunta que contempla diversos itens de interesse educacional. Os dois principais são a criação do Instituto Machado de Assis, no Brasil, e a promoção da língua portuguesa na era digital.

A exemplo de países como Portugal, Espanha e Alemanha, que mantêm institutos de promoção de seus idiomas em outros continentes — Camões, Cervantes e Goethe, respectivamente —, o Brasil pretender difundir a cultura brasileira e o português fora do espaço lusófono com o Instituto Machado de Assis. É um antigo sonho do Ministério da Educação, mas só tomou impulso no ano passado.

O instituto será criado sob a orientação do Instituto Camões, de Portugal, com coordenação do MEC. Serão parceiros o Ministério das Relações Exteriores e a Academia Brasileira de Letras. A comissão responsável pela estruturação do instituto é presidida pelo professor Godofredo de Oliveira Neto, diretor do Departamento de Políticas do Ensino Superior. “O primeiro-ministro de Portugal elogiou a intenção do Brasil de criar o Instituto Machado de Assis, entidade que buscará promover a língua portuguesa e a cultura lusófona”, destaca o texto da declaração conjunta. “Trata-se de uma instituição que proporcionará, também, às entidades portuguesas competentes, designadamente o Instituto Camões, um parceiro privilegiado nessa área.”

Para o secretário-executivo adjunto do MEC, Ronaldo Teixeira da Silva, que coordenou as negociações com o governo federal, o ministro da Educação, Fernando Haddad, marca definitivamente sua gestão ao contribuir para a consolidação da identidade nacional. “A língua é um traço intrínseco da soberania nacional”, disse.

Paralelamente, o Brasil instalou a comissão da língua portuguesa, com a atribuição de estruturar o instituto. Ela contará com importantes estudiosos do idioma, como Eni Orlandi, Evanildo Bechara, Ingedore Koch, Paulo Coimbra Guedes, José Luiz Fiorin e Luiz Antonio Marcuschi, entre outros.

Era digital — No campo da difusão da língua portuguesa, foi enfatizado o espaço do idioma na era digital. Os dois países sublinharam o potencial do desenvolvimento de programas de educação a distância, bibliotecas digitais, produção de DVDs e capacitação de professores pelo uso de técnicas modernas de comunicação.

Em novembro, será realizada reunião da comissão bilateral, em Lisboa, para formular um programa de cooperação até 2008. Serão tratadas, também, questões como a agilização do reconhecimento de diplomas brasileiros e portugueses, avaliação e certificação, livro didático e Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP). (Assessoria de Comunicação Social do MEC)

Assunto(s): mec , notícias , jonalismo , matérias
X
Fim do conteúdo da página