Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias > Brasil troca experiências com a China sobre educação e ciência
Início do conteúdo da página
Ações internacionais

Educação é base de programa de cooperação técnica com a Índia

  • Quarta-feira, 01 de fevereiro de 2006, 17h04
  • Última atualização em Quinta-feira, 17 de maio de 2007, 09h48

Foto: AdrianeUm programa de intercâmbio educacional foi assinado nesta quarta-feira, 1º, em Brasília, entre o Brasil e a Índia. O presidente da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes/MEC), Jorge Guimarães, e o embaixador da Índia, Hardeep Singh Puri, assinaram o documento que permitirá a formação de recursos humanos e a cooperação técnica nos níveis fundamental, médio, superior e de pós-graduação.

Na cerimônia, o embaixador do Brasil na Índia, José Pimentel, destacou a importância do acordo. Segundo ele, a integração acadêmica será essencial para todo o processo de intercâmbio técnico-científico que os dois países pretendem intensificar. No encontro, estavam presentes o chefe da Assessoria Internacional do MEC, Alessandro Candeas, e coordenador-geral da Cooperação Internacional da Capes, Benício Schmidt, empresários dos dois países, além de representantes de diversas áreas do governo brasileiro e indiano.

Alessandro Candeas disse que “é grande o interesse recíproco no adensamento das relações acadêmicas, de forma a superar o desconhecimento mútuo. Apesar disso, Brasil e Índia são parceiros naturais, pela semelhança de contextos ecológicos e, de certa forma, sociais e têm imenso potencial de cooperação em todos os níveis, sobretudo no educacional. O intercâmbio acadêmico é passo preliminar para todas as cooperações, na medida em que permite que ambas as sociedades se conheçam melhor”.

Para o presidente da Capes, Jorge Guimarães, um dos objetivos do programa com a Índia é o lançamento de um edital para intercâmbio de pesquisadores, professores e estudantes. Missões de trabalho, de estudo e visitas técnicas de brasileiros à Índia permitirão a troca de conhecimento em áreas como engenharias, ciências da computação, biotecnologia, nanotecnologia, ciências políticas, agricultura, arquitetura, entre outras. Guimarães disse, ainda, que a experiência indiana em educação a distância pode servir de exemplo para o modelo brasileiro.

De acordo com Benício Schmidt, outra área muito desenvolvida na Índia é a engenharia. “O Indian Institute of Technology é um dos maiores do mundo na formação de recursos humanos em matemática e engenharia, são seis campi. Esperamos fazer um intenso intercâmbio com estes pesquisadores e professores indianos”, afirmou.

Seminário – Durante o evento, o chefe da Assessoria Internacional informou que o MEC e o governo indiano realizarão em maio um seminário para debater as parcerias na área educacional. Em março, o coordenador-geral de Cooperação Internacional da Capes participará, na Índia, de uma reunião preparatória de organização do encontro.

Repórter: Adriane Cunha

Assunto(s): mec , notícias , jonalismo , matérias
X
Fim do conteúdo da página