Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
Políticas educacionais

Países ibero-americanos discutirão resultados de programa internacional de avaliação estudantil

  • Segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018, 22h00
  • Última atualização em Terça-feira, 20 de fevereiro de 2018, 13h07


O objetivo da Reunião Ministerial Regional Competências na Ibero-América  é promover o diálogo sobre os resultados da edição de 2015 do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes para a elaboração de políticas educacionais. (Foto: André Nery/MEC)

Teve início nesta segunda-feira, 19, a Reunião Ministerial Regional Competências na Ibero-América em São Paulo, com a participação do ministro da Educação, Mendonça Filho. O evento é organizado pelo MEC e pela Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE), com apoio da Secretaria Geral Ibero-Americana (Segib) e da Fundação Santillana. Durante a reunião será lançado o relatório da OCDE intitulado Competências na Ibero-América: análise do Pisa 2015.

Ao falar durante a abertura, Mendonça Filho destacou a importância de uma união social em torno da educação. “Qualquer nação que encontrou o caminho do desenvolvimento, encontrou porque houve consenso social dentro de sua realidade, tendo como base a educação”. Na ocasião, o ministro pontuou a importância de reformas que têm sido postas em prática como o Novo Ensino Médio. “Em um mundo onde a informação anda de maneira cada vez mais intensa, desprezar a autonomia do jovem é desprezar a natureza humana de criar caminhos. Boa parte da evasão no ensino médio ocorre por esse divórcio entre um ensino imposto de forma absoluta para todos e aquilo que os jovens desejam”, acrescentou.

O objetivo da reunião é promover o diálogo a respeito dos resultados da edição de 2015 do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa, na sigla em inglês) para a elaboração de políticas educacionais. Cerca de 100 pessoas são esperadas no evento, que será composto por representantes de alto nível de governos de 20 países da região ibero-americana e de organizações internacionais, bem como de entidades da sociedade civil que trabalham com o tema da educação. Entre as questões que serão debatidas no evento estão os desafios de competências específicas que os países ibero-americanos enfrentam, as semelhanças e diferenças no desempenho educacional e de competências entre os países, o que explica as diferenças de desempenho entre países latino-americanos em comparação com Espanha e Portugal, e como essa lacuna pode ser eliminada. Bem como os principais fatores que influenciam o desempenho do estudante e como esses desafios de competências afetam os resultados do mercado de trabalho.

Participantes – Também participaram da abertura a secretária-geral da Ibero-América, Rebeca Grynspan, e o diretor de Educação e Competências e assessor especial de Política Educacional do secretário-geral da OCDE, Andreas Schleicher. Nesta terça-feira, 20,  Mendonça Filho fará a introdução dos debates e Andreas Schleicher apresentará o Relatório de Competências na Ibero-América: Análise do Pisa 2015. A secretária-executiva do MEC, Maria Helena Guimarães de Castro, será a moderadora do tema. Participam da mesa ainda o diretor sênior de Educação do Banco Mundial, Jaime Saavedra; a reitora da Universidade Jorge Tadeo Lozano, da Colômbia, Cecilia María Vélez; o diretor-representante do Uruguai junto ao Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF), German Ríos.

Na segunda parte do evento, o representante permanente do Brasil junto à OCDE, embaixador Carlos Márcio Cozendey, será o moderador dos debates sobre as Lições de políticas bem-sucedidas de países ibero-americanos, com os ministros de países que apresentaram melhora: Brasil, Colômbia, Peru e Portugal. Nas discussões sobre O caminho a seguir, com os ministros de Argentina, Espanha, Guatemala e México, o diretor-geral da Fundação Santillana, Mariano Jabonero, será o moderador.

Assessoria de Comunicação Social

X
Fim do conteúdo da página