Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias > Escolha dos livros aprovados pelo PNLD 2018 começa dia 21
Início do conteúdo da página
Educação financeira

Curso e jogo ensinam estudante e professor a cuidar do dinheiro

  • Segunda-feira, 14 de maio de 2018, 19h47
  • Última atualização em Segunda-feira, 14 de maio de 2018, 19h47

O curso de educação financeira proporciona oportunidades de sensibilização, reflexão e revisão de escolhas no âmbito pessoal (Foto: Frame TV Escola)

Ter uma vida financeira saudável, sem buracos no orçamento mensal e com gastos equilibrados é o sonho de muita gente, e as lições começam em casa. Pensando nisso, uma parceria entre a TV Escola, canal do Ministério da Educação, e a Associação de Educação Financeira (AEF) vai auxiliar as famílias no controle das finanças, de forma a evitar perdas e gerar estabilidade no bolso.

É a 5ª Semana Nacional de Educação Financeira, que começou nesta segunda-feira, 14, e se estende até o próximo dia 20, divulgando boas ações de educação financeira de entidades públicas e privadas. A intenção é promover ações dessa natureza em todo o Brasil e o projeto conta com conteúdos para apoiar educadores, gestores, pais e alunos a desenvolver práticas financeiras conscientes.

Este ano, a parceria oferece duas ferramentas tecnológicas para a educação financeira: uma plataforma com cursos a distância, para professores, e um jogo, para atrair a atenção dos estudantes e incentivar o uso consciente dos recursos financeiros. Todas as informações sobre a semana e as novidades educacionais podem ser conferidas no portal da Estratégia Nacional de Educação Financeira (Enef), uma mobilização multissetorial em torno da promoção de ações de educação financeira no Brasil, com material específico de apoio à formação de professores.    

O game, batizado de Tá O$$O, tem o objetivo de disseminar o tema entre alunos dos ensinos fundamental e médio, professores, gestores de educação e organizações não governamentais, além de ampliar seu alcance a partir de tecnologias inovadoras. A expressão Tá Osso foi escolhida para brincar com um olhar popular sobre a dificuldade que as pessoas têm de se organizar com dinheiro.

“É um recurso inovador, voltado ao jovem da era digital”, explicou Claudia Forte, superintendente da AEF-Brasil. “Por meio da ferramenta, o aluno pode personalizar seu avatar com recursos relacionados à narrativa e experimentar situações que estimulam a tomada de decisão com base em diferentes conceitos trabalhados na sala de aula.” Todos os personagens são cães e o jogo se passa em uma cidade com cinco diferentes espaços. Com o uso de um avatar, os usuários podem montar sua identidade e entrar na narrativa de um universo paralelo com questões e situações do cotidiano.

Toda a plataforma virtual foi idealizada por uma equipe de profissionais especializados no desenvolvimento de objetos de aprendizagem, como desenvolvedores, designers e consultores de educação financeira. O projeto é gerido pela equipe da TV Escola e utiliza a atração dos jogos eletrônicos para criar atividades prazerosas e promover o uso correto do dinheiro.

“O game é uma experiência educativa e divertida, reunindo temas e conteúdos que discutem comportamentos importantes, como a administração consciente do dinheiro e o consumo excessivo”, avaliou Fernando Veloso, diretor geral da TV Escola. Após o lançamento da versão demo, o jogo será testado inicialmente com jogadores experientes e, na segunda etapa de testes, em salas de aula. Após essa avaliação ele será direcionado às escolas públicas parceiras da AEF-Brasil.

Cursos – Além do jogo, a plataforma de ensino a distância oferece um curso com quatro módulos temáticos direcionados a professores da educação básica, ensinos fundamental (1 e 2) e médio, além de educadores sociais. Disponível no portal, a ferramenta será um dos pilares para a organização dos polos de formação em educação financeira, viabilizados por meio de convênios com as secretarias estaduais de Educação e universidades federais, e disponível gratuitamente para educadores de todo o país.

Os módulos temáticos têm diferentes dimensões temporais e espaciais, proporcionando oportunidades de sensibilização, reflexão e revisão de escolhas no âmbito pessoal, coletivo ou familiar, para a educação financeira nas escolas. Ao todo, são 40 horas de conteúdos sociais, conceitos financeiros e compartilhamento de propostas de planos de aulas e depoimentos de professores e gestores. A certificação fica disponível aos professores que terminarem todos os conteúdos em até quatro meses, oferecendo os benefícios de gestão do tempo e da liberdade de um curso não linear.

O material é composto por ferramentas interativas com textos, vídeos e atividades de verificação, mas com uma roupagem diferente, que foge dos tradicionais conceitos numéricos. Todos os módulos são independentes e não-lineares, com questões desafiadoras e sem se prender a uma única narrativa. Dessa forma, o professor pode acessar o módulo que quiser a qualquer momento.

“O curso é um grande aliado para vencermos nosso maior desafio hoje quando o assunto é educação financeira: promover a formação adequada do professor, que possibilite a ele introduzir os temas transversais de forma eficiente que é um dos grandes desafios em sala de aula”, destacou relata Claudia Forte.

Para Fernando Veloso, a plataforma de educação a distância e o game desenvolvidos partem de conceitos absolutamente atuais, que são a organização das finanças, o planejamento financeiro e a sustentabilidade das pessoas e das famílias. “Compreender essa lógica a partir da educação e do suporte aos professores para a transmissão de conteúdos em sala de aula é olhar adiante e na direção de um país economicamente saudável”, pontuou.

Semana – Promovida pelo Comitê Nacional de Educação Financeira (Conef), a 5ª Semana Nacional de Educação Financeira reúne diversas ações educacionais, gratuitas, presenciais e online, com o objetivo de disseminar a educação financeira e previdenciária, além de contribuir para o fortalecimento da cidadania. Em 2017, mais de 3,6 mil ações de 101 instituições foram realizadas em 17 estado e 21 cidades brasileiras, alcançando cerca de 3 milhões de pessoas em todo o Brasil.

Para saber mais sobre a Estratégia Nacional de Educação Financeira (Enef), iniciativa pública que reconhece a educação financeira e previdenciária como ferramenta de inclusão social, basta acessar o portal, no qual os interessados encontrarão diversas ferramentas e matérias gratuitas, agenda da edição 2018 e outras informações sobre o tema.  

Confira o portal da Enef

Confira o portal do Programa Educação Financeira

Assessoria de Comunicação Social

X
Fim do conteúdo da página