Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias > Agenda: Inscrições para mestrado no Cefet-MG
Início do conteúdo da página
Novo ministro

Bolsonaro dá posse a Weintraub e diz esperar jovens mais bem preparados que os pais e avós

  • Terça-feira, 09 de abril de 2019, 18h38
  • Última atualização em Terça-feira, 09 de abril de 2019, 20h58

O presidente da República, Jair Bolsonaro, deu posse ao novo ministro da Educação, o economista e professor Abraham Weintraub, nesta terça-feira, 9. A cerimônia foi realizada no Palácio do Planalto, em Brasília. “O que a gente quer do ministro da Educação? Que ele faça de nossos jovens, filhos e netos, melhores que seus pais e seus avós. É isso que eu espero e que toda a sociedade brasileira espera”, destacou o presidente.

Bolsonaro ressaltou que Weintraub, assim como todos os demais ministros, tem carta branca para escolher todo o seu primeiro escalão. “Temos que esperar que esse time da educação jogue pra frente, não só busque a inflexão no tocante à educação, bem como, no final do nosso mandato, se Deus quiser, em 2022, nós possamos ter uma garotada que não esteja ocupando os últimos lugares do Pisa”, afirmou o presidente, citando o Programa Internacional de Avaliação de Estudantes.

Weintraub disse que será exatamente esse o seu papel como ministro. “Entregar o que foi prometido no plano de governo, bem sucintamente, mas com o mesmo que a gente já gasta”, disse o novo ministro. “Se o Brasil tem uma filosofia de educação tão boa, porque a gente tem resultados tão ruins?” Ele disse que o Brasil investe em proporção do Produto Interno Bruto (PIB) igual a um país rico, mas não recebe o retorno dos impostos investidos.

“A gente tem que entregar mais. Os indicadores do Pisa colocam o Brasil entre países muito abaixo da média”, ponderou. O ministro também agradeceu a confiança do presidente Jair Bolsonaro e declarou que acredita entregar os resultados prometidos no plano de governo. Ele ressaltou ainda o fato de ser professor e de não ter filiação partidária.

Weintraub assume a pasta no lugar de Ricardo Vélez Rodríguez, como anunciado na segunda-feira, 8, pelo presidente Jair Bolsonaro e publicado no Diário Oficial da União. Ainda nesta terça-feira, o novo ministro participou da transmissão de cargo durante cerimônia na sede do MEC.

O novo ministro da Educação, Abraham Weintraub, participou da cerimônia de transmissão de cargo junto ao ex-ministro, Ricardo Vélez Rodríguez. (Foto: André Borges/MEC)Transmissão – No final da tarde desta terça-feira, o novo ministro participou da cerimônia de transmissão de cargo junto ao ex-ministro, Ricardo Vélez Rodríguez. Na ocasião, Abraham Weintraub foi enfático ao reforçar que o MEC está pacificado e defendeu o diálogo entre os diversos setores.

“E como funciona a paz? A gente está decretando a partir de agora que o MEC tem um rumo, uma direção. E quem não estiver satisfeito com ela avise, por favor avise, porque vai ser tirado. A pessoa pode ter a convicção pessoal que for, mas a partir do momento em que eu entro no governo, tenho que me pautar pelas convicções que são do topo do time”, avisou.

O ministro também adiantou que “não existe hipótese de haver discordância do que a gente vai expor”. O que não tem relação com autoritarismo, de acordo com ele. “A gente quer conversar mesmo que a pessoa não tenha alinhamento ideológico igual ao nosso, a gente escuta opiniões – com argumentação lógica, processo cartesiano, método aristotélico. Significa números, dados, evidência empírica. A gente cede. Não reconhecer um erro é burrice”, declarou.

“A gente tá aberto a diferentes posições. Podem ser olavistas, podem ser militares, pode ser gente de esquerda disposta ao diálogo. O diálogo pressupõe que a pessoa respeite as leis, seja tolerante e aceite uma discussão racional e acadêmica”, disse.

Weintraub questionou os resultados obtidos na educação, diante dos recursos investidos (Foto: André Borges/MEC)Em seu discurso, ele elogiou a atuação de Ricardo Vélez Rodríguez. “O senhor sai pela porta da frente, sendo respeitado, as pessoas gostam do senhor, falam que é uma ótima pessoa, um intelectual capaz, um homem inteligente e o senhor continua com as portas abertas aqui no MEC.”

Já o ex-ministro fez um balanço dos três meses de sua gestão à frente do MEC e se colocou à disposição da nova gestão. “O senhor encontrará a casa em ordem, as nossas cinco secretarias”, garantiu Vélez. “Estamos tentando colocar em prática o ideal do presidente Bolsonaro, de o MEC estar a serviço do cidadão, ali onde o cidadão mora, no município.” E disse que entrega a “máquina funcionando para serviço do país”. Por fim, Vélez participou da cerimônia em que sua foto foi anexada à galeria dos ex-ministros da Educação.

Perfil – Abraham Weintraub é natural de São Paulo, casado, professor da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), mestre em administração na área de finanças pela Faculdade Getúlio Vargas (FGV) e graduado em ciências econômicas pela Universidade de São Paulo (USP) em 1994.

Executivo do mercado financeiro, com mais de vinte anos de experiência, atuou como economista-chefe e diretor do Banco Votorantim, e como sócio na Quest Investimentos. Weintraub foi integrante da equipe de transição do governo do presidente Bolsonaro, e ocupou o cargo de secretário executivo da Casa Civil, sob o comando de Onyx Lorenzoni.

Assessoria de Comunicação Social

X
Fim do conteúdo da página