Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
Segurança

Ministro da Educação visita colégio onde professor foi assassinado

Em fala para educadores e autoridades locais, Weintraub reforçou a necessidade de melhorias na educação básica como uma das formas de acabar com violência

  • Quinta-feira, 02 de maio de 2019, 20h32
  • Última atualização em Sexta-feira, 03 de maio de 2019, 15h05


Valparaíso (GO), 02/5/2019 –
O ministro da Educação, Abraham Weintraub, visitou, na tarde desta quinta-feira (2), o Colégio Estadual Céu Azul, em Valparaíso (GO). Nesta semana, o professor e coordenador da unidade, Júlio Cesar Barroso de Sousa, foi assassinado por um aluno.

Weintraub escutou docentes e autoridades do município e reforçou a necessidade de retomar o respeito dentro das unidades escolares. Para ele, o caso em questão foi pontual, mas ressaltou, durante a vista, que é necessária uma mudança a longo prazo. “Não se pode permitir que isso se torne uma coisa cotidiana, visto como algo normal. Policial não pode morrer. Professor não pode morrer”, enfatizou. “Quem morreu tinha 41 anos, tinha família, era pagador de impostos, trabalhador. Só construía e agregava para o País”, acrescentou.

Segundo o ministro, o plano do MEC é realizar uma mudança estrutural, com um maior investimento na educação básica. “Vocês aqui que estão na linha de frente, nos municípios, professores estaduais, municipais, [são] prioridade. Vocês, professores, é que têm de estar valorizados”, falou aos presentes.

Rudilene Nobre, secretária de Educação do município, recebeu a visita do ministro como incentivo para continuar o trabalho educacional na comunidade. “Este é um fato que vai marcar a vida dos alunos, dos professores e servidores. Já temos uma equipe preparada para fazer um trabalho diferenciado com os professores e alunos assim que retornarem à escola”, destacou. “O comprometimento do ministro é louvável. Como ele mesmo disse, nós não podemos perder a esperança. O Brasil ainda tem jeito e só por meio da educação podemos mudar isso.”

Assessoria de Comunicação Social

X
Fim do conteúdo da página