Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias > Diante de comissão do Senado, ministro indica sete pontos centrais para melhorar a educação
Início do conteúdo da página
Ensino médio

Mais de 50 mil participantes farão o Enem com recursos de acessibilidade

  • Quarta-feira, 04 de setembro de 2019, 10h43
  • Última atualização em Quarta-feira, 04 de setembro de 2019, 10h51

Cerca de 50 mil inscritos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 2019 solicitaram atendimento especializado para fazer o exame, o equivalente a 1% dos 5,1 milhões de participantes. O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), vinculado ao Ministério da Educação (MEC) e responsável pela aplicação da prova, oferece 15 recursos diferentes para que as pessoas com deficiência realizem as provas com comodidade.

Entre os recursos oferecidos, estão:

  • apoio para pernas e pés;
  • mesa para usuários de cadeira de rodas;
  • salas de fácil acesso;
  • prova impressa em braile. Para os participantes com baixa visão, o Inep também disponibiliza as provas nas modalidades ampliada ou superampliada, que são impressas com fontes caligráficas maiores e com imagens aumentadas.

Os participantes que apresentaram laudo, declaração ou parecer que comprove a necessidade de tempo adicional poderão dispor de um acréscimo de 60 minutos para fazer as provas.

As provas do Enem 2019 serão aplicadas em dois domingos, 3 e 10 de novembro. No dia 3, serão aplicadas as provas de linguagens, códigos e suas tecnologias, redação e ciências humanas e suas tecnologias. No dia 10, as provas serão de ciências da natureza e suas tecnologias e matemática e suas tecnologias.

Deficientes auditivos/surdos e surdocegos – Uma inovação desta edição do Enem foi a possibilidade de o participante indicar, no ato de inscrição, que usa aparelho auditivo ou implante coclear. O Inep registrou 1.846 usuários inscritos que utilizam um destes dispositivos ou os dois.

A comunidade surda que tem a Língua Brasileira de Sinais (Libras) como primeiro idioma realiza a videoprova traduzida em Libras desde 2017. A modalidade permite que o participante faça a prova em notebook, mediante vídeo com enunciados das questões e opções das respostas traduzidas em Libras. Quem faz a videoprova conta com 120 minutos adicionais para cada dia do exame.

Em 2018, o Inep lançou a plataforma Videoprova em Libras, que traz exemplos de itens de edições anteriores do Enem traduzidos em Libras, disponibilizados em vídeo, utilizando a mesma interface empregada na aplicação do Enem em Libras.

O edital do Enem possui também uma versão traduzida em Libras e descreve todas as possibilidades de atendimento especializado. Cada pessoa pode pedir mais de um recurso. Os documentos necessários para comprovar a necessidade de atendimento especial são detalhados pelo edital. O participante que teve a declaração ou o parecer aprovado no Enem 2017 e 2018 não precisou apresentar documentação em 2019.

Material próprio – Em alguns casos, o participante pode levar material próprio no dia do exame, como máquina para a escrita em braile, lupa, reglete, luminária e outros objetos descritos no edital. O participante que solicitou atendimento e apresentou a documentação que comprova essa necessidade poderá utilizar objetos próprios para realizar a prova.

Atendimento específico – O Inep já confirmou a inscrição de 5.277 pessoas que terão atendimento específico. São participantes que têm alguma necessidade especial para prestar o exame. Entram nessa categoria pessoas em situação de classe hospitalar, gestantes, lactantes, idosos e outras condições específicas.

Acesse a Página do Participante do Enem

Saiba mais sobre recursos acessíveis no press kit do Enem

Confira o edital do Enem

Veja todas as informações sobre o Enem em Libras

Assessoria de Comunicação Social, com informações do Inep

X
Fim do conteúdo da página