Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
Ensino-aprendizagem

Escola de João Pessoa promove cultura regional em sala de aula

  • Quarta-feira, 19 de outubro de 2011, 13h01
O resgate da cultura nordestina é uma das preocupações dos professores da Escola Fenelon Câmara, de João Pessoa (foto: arquivo da escola)A realização de eventos que estimulem e disseminem a cultura regional é planejada em conjunto pelos professores da Escola Estadual de Ensino Fundamental Fenelon Câmara, em João Pessoa, Paraíba. Eles trocam ideias e tomam decisões sobre as diferentes formas de realização das atividades ao longo do ano. Em sala de aula, os estudantes são orientados a conhecer melhor a cultura da região.

De acordo com a pedagoga Josefa Jucileide Galvão Lacerda, professora polivalente em turmas do quarto e do quinto anos do ensino fundamental, as atividades incluem leitura, dramatizações, pesquisas sobre o folclore e a cultura da região, narrativa de lendas, apresentação de danças folclóricas e audição de músicas, entre outras. “Os alunos envolvem-se nas atividades práticas”, destaca.

Na opinião de Jucileide, a participação nas atividades culturais promovidas pela escola proporciona aos estudantes a melhoria na atenção, no entrosamento e no relacionamento, no desenvolvimento de habilidades e na realização das atividades na classe.

Professora polivalente em turma do segundo ano na mesma escola, Gilvaneide Miguel da Costa constata que a participação dos alunos em eventos culturais melhora a socialização e os leva a se interessar pelas atividades. Há 24 anos no magistério, Gilvaneide, ao iniciar os trabalhos, discute com os estudantes as atividades a serem realizadas. “Em seguida, partimos para os ensaios de dança, cantigas de rodas, parlendas etc.”, explica.

Ione Elias Barbosa Braga, que trabalha como professora polivalente de ensino fundamental há 12 anos, aborda a cultura regional nas aulas de história e geografia para a estimular os alunos a conhecerem a cultura nordestina. “Há também uma semana dedicada ao folclore”, afirma. “Fazemos apresentações e exposições de objetos culturais.”

Durante as atividades, os estudantes vivenciam a cultura das gerações anteriores e fazem comparações com a atual. “Em sala de aula, mostramos e ensaiamos danças e peças teatrais e fazemos pesquisas para estimular as crianças e mostrar a cultura local”, assinala Ione. A realização de eventos culturais na escola anima os alunos. “Eles ficam alegres, mais participativos e se mostram mais aptos a aprender, na expectativa de uma nova mostra cultural.”

Resgate – A diretora da escola, Ilca Andrade de Lima, revela que sempre se preocupou em desenvolver trabalhos com espaços lúdicos organizados, capazes de enriquecer integralmente as áreas de conhecimento dos estudantes. O resgate da cultura nordestina é uma das preocupações de Ilca, especializada em educação infantil, com 24 anos de experiência em sala de aula.

Esse resgate é trabalhado de forma dinâmica na instituição, com a organização de murais e de livros (contos, cordéis, parlendas e receitas); apresentações de danças folclóricas, como quadrilha, forró e xaxado; brincadeiras populares, como amarelinha e pular corda; exposições de comidas típicas, como pamonha, canjica, tapioca e cocada, de vestuário e de utensílios do cotidiano nordestino. “Esse trabalho é feito com a cooperação e participação de todos que trabalham na escola, dos pais e da comunidade”, enfatiza Ilca.

Fátima Schenini








X
Fim do conteúdo da página