Portal do Governo Brasileiro
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias > Adesão ao ProInfância termina sexta
Início do conteúdo da página
Educação superior

Ensino superior terá 760 mil vagas até 2008

  • Quarta-feira, 27 de julho de 2005, 15h25

As ações do Ministério da Educação para a ampliação do acesso ao ensino superior irão gerar, até 2008, cerca de 760 mil novas vagas incluindo o Programa Universidade para Todos (ProUni), a criação de três novas universidades e a expansão de 31 campi em todo o país. Segundo o diretor do Departamento de Modernização e Programas da Educação Superior (Depem/MEC), Celso Ribeiro, o ministério tem duas frentes de atuação para o acesso à educação superior que atendem à emergência de ofertas de vagas realizada por meio do ProUni e à expansão do ensino superior do sistema público com a criação de universidades e interiorização dos campi.

Instituído pelo governo federal em 13 de setembro de 2004, o ProUni é o maior programa de bolsas de estudo da história da educação brasileira. A cada ano, as 54 universidades federais brasileiras colocam 122 mil vagas à disposição nos vestibulares. O ProUni iniciou o ano de 2005 abrindo 112 mil vagas para os estudantes de baixa renda nas instituições particulares de ensino superior.

O programa ajuda a modificar a difícil realidade do ensino universitário no Brasil, pois o país figura entre as nações da América Latina com uma das mais baixas taxas de acesso à universidade. Hoje, só 9% dos jovens de 18 a 24 anos de idade estão na faculdade. No Chile, o índice é de 27%; na Argentina, de 39%; no Canadá é de 62%; e nos Estados Unidos, de 80%.

Bolsas – O ProUni destina-se à concessão de bolsas de estudo integrais e bolsas parciais, no valor de 50%, para estudantes em instituições privadas de ensino superior, com ou sem fins lucrativos. A bolsa integral é dada a quem tem renda familiar per capita não superior a 1,5 salário mínimo e a parcial é para aqueles cuja renda per capita não exceda três salários mínimos. O programa tem uma política de cotas pela qual as bolsas de estudo para afrodescendentes e indígenas são concedidas de acordo com a proporção dessas populações nos respectivos estados, segundo os dados do IBGE.

O ProUni promoveu o aumento do ingresso de afrodescendentes nas universidades. As instituições públicas e particulares têm em seus cursos 25% desses alunos. Só neste ano, com a política de cotas, o MEC ofereceu 27.342 bolsas integrais e 11.071 bolsas parciais. Em setembro, as instituições interessadas em participar do ProUni poderão realizar a adesão. Posteriormente serão abertas inscrições para os alunos.

Repórter: Sandro Santos

Assunto(s): mec , notícias , jonalismo , matérias
X
Fim do conteúdo da página