Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Todas as notícias > Portugal realizará levantamento de acervo disponível para recompor o Museu Nacional
Início do conteúdo da página
Olimpíadas 2016

Ministro participa de inauguração do Centro Aquático de Deodoro, no Rio de Janeiro

  • Quinta-feira, 10 de março de 2016, 19h14

Para o ministro, o sucesso da Copa vai se repetir com a Olimpíada (Foto: Tânia Rego/Agência Brasil) Com os Jogos Olímpicos se aproximando, as inaugurações dos complexos esportivos se tornam cada vez mais corriqueiras no Rio de Janeiro. Nesta quinta-feira, 10, foi a vez do Centro Aquático de Deodoro, que contou com a presença do ministro da Educação, Aloizio Mercadante. A instalação, construída para o Pan de 2007, recebeu R$ 4,4 milhões em reformas.

O Centro de Deodoro é sede de treinos e competições nacionais e internacionais. Nesta semana receberá um evento-teste, na segunda etapa da Copa do Mundo de Pentatlo Moderno. “Nós fizemos a melhor Copa e tivemos o reconhecimento de todos que estiveram aqui no Brasil, e vamos repetir agora com a Olimpíada. Este é um exemplo, com uma piscina de última geração”, disse Mercadante, durante a cerimônia de inauguração.

A inauguração faz parte da agenda do ministro no Rio de Janeiro, que ainda incluiu, no início da manhã, uma visita às instalações do Parque Olímpico de Deodoro. Depois do almoço com o governador do Rio, Luiz Fernando Pezão, Mercadante conheceu o Parque Olímpico da Barra da Tijuca.

A visita também contou com a presença do ministro do Esporte, George Hilton, e do presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), Carlos Arthur Nuzman, além de outras autoridades. “Eu fico muito feliz em saber que as coisas estão acontecendo dentro do cronograma”, lembrou Hilton.

Educação – Aloizio Mercadante explicou como a educação ganhará com a realização dos Jogos do Rio. “Temos algumas ações diretas. Por exemplo, na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), todo o laboratório de análise de dopagem, análise médica, é um laboratório que está certificado nacionalmente. Só de equipamentos, nós investimos mais de R$ 50 milhões. É um trabalho de ciência de ponta, que vai deixar legado para formar farmacêutico, bioquímicos, médicos para o futuro”, disse.

O legado que a Olimpíada deixará também foi assunto durante o dia. “Vamos transformar essa Olimpíada em um permanente espírito olímpico, de um projeto de formação de atletas de alto rendimento, mas também levar essa atitude para dentro das escolas”, destacou.

Assessoria de Comunicação Social

Ouça:

Assista:

X
Fim do conteúdo da página